sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Roupa íntima sustentável e engajada


A PACT Underwear, empresa que fabrica roupa íntima sustentável, sobre a qual falei aqui há alguns meses, acaba de relançar a coleção Save the Sea para ajudar a ONG internacional Oceana a salvar e recuperar as taretarugas marinhas afetadas pelo vazamento de óleo no Golfo do México, causado pela explosão da plataforma da British Petroleum.

Além de se preocupar com a sustentabilidade de sua cadeia de produção, a PACT também promove a conscientização e apoia ações para melhorar as condições de vida no planeta. Empresa boa para entrar na lista de qualquer consumidor consciente.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Incubadora para projetos da população negra


Interessante o trabalho da Incubadora Afro Brasileira, primeira iniciativa voltada para o desenvolvimento de negócios com foco na população negra do país. Como as incubadoras tradicionais, a Incubadora ajuda empreendedores negros no desenvolvimento do seu negócio desde 2004, oferecendo a eles, gratuitamente, quatro tipos de serviço: formação em Gestão; consultoria nas áreas de Economia, Direito, Marketing, Contabilidade, Finanças, entre outras; apoio logístico para a participação em feiras e eventos; e assistência técnica, para auxiliar o empreendedor a colocar em prática o seu plano de negócios.

Patrocinada pela Petrobras e apoiada por importantes organizações sociais, a Incubadora Afro Brasileira apoia hoje mais de mil empreendimentos em cerca de 20 cidades da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Para acompanhar suas atividades e a abertura dos editais de seleção, visite o site da incubadora.

O objetivo é fortalecer micro e pequenos negócios, predominantemente urbanos, nas áreas de comércio e serviços, promovendo o reconhecimento profissional da população negra brasileira. Considerando a desigualdade de renda e oportunidades profissionais e educacionais que ainda atinge de maneira muito forte essa população, trata-se de uma iniciativa importante de inclusão social e econômica.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Campanha Doe um livro continua em ação



A campanha Doe Um Livro tem como objetivo arrecadar livros para escolas públicas e bibliotecas de todo o país. Surgida em 2009 no Twitter, com a hashtag #doeumlivro, a iniciativa criada por Heber Dias de Souza, José Luiz Goldfarb e Laura Furquim Xavier se espalhou rapidamente e deve chegar a 180 mil livros somente em janeiro de 2011. Hoje a campanha conta com a parceria de Fundação Abrinq, Exército da Salvação, Sempre um Papo e Visão Mundial.

As secretarias estaduais de Educação vão receber os livros doados, que podem ser entregues pelos interessados em contribuir em unidades da Droga Raia e outros locais em todo o país - veja onde há postos de recebimento aqui.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Como ajudar as vítimas da chuva no Rio? | Greenpeace Brasil

Como ajudar as vítimas da chuva no Rio? | Greenpeace Brasil

Fazendas verticais em centros urbanos


Interessante a matéria publicada esta semana pelo jornal O Estado de S.Paulo sobre projetos de cultivo de hortaliças e frutas em espaços urbanos. Em São Paulo, um dos adeptos da ideia é o arquiteto paulistano Rafael Gringberg, que elaborou um projeto de revitalização para os Edifícios São Vito e Mercúrio, no centro de São Paulo. Leia a matéria completa aqui.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Manifeste-se contra a construção de Belo Monte


A rede Avaaz está coletando assinaturas para uma petição contra a construção da hidrelétrica de Belo Monte que será entregue à presidente da República. O complexo hidrelétrico, se ocnstruído, irá devastar uma grande área da Amazônia e tirar de suas terras milhares de pessoas.

Veja abaixo a mensagem da Avaaz e como assinar a petição:

"O Presidente do IBAMA se demitiu na quarta-feira passada devido à pressão para autorizar a licença ambiental de um projeto que especialistas consideram um completo desastre ecológico: o Complexo Hidrelétrico de Belo Monte.

A mega usina de Belo Monte iria cavar um buraco maior que o Canal do Panamá no coração da Amazônia, alagando uma área imensa de floresta e expulsando milhares de indígenas da região. As empresas que irão lucrar com a barragem estão tentando atropelar as leis ambientais para começar as obras em poucas semanas.

A mudança de Presidência do IBAMA poderá abrir caminho para a concessão da licença – ou, se nós nos manifestarmos urgentemente, poderá marcar uma virada nesta história. Vamos aproveitar a oportunidade para dar uma escolha para a Presidente Dilma no seu pouco tempo de Presidência: chegou a hora de colocar as pessoas e o planeta em primeiro lugar. Assine a petição de emergência para Dilma parar Belo Monte – ela será entregue em Brasília, vamos conseguir 300.000 assinaturas:

Assine aqui a petição

Abelardo Bayma Azevedo, que renunciou à Presidência do IBAMA, não é a primeira renúncia causada pela pressão para construir Belo Monte. Seu antecessor, Roberto Messias, também renunciou pelo mesmo motivo ano passado, e a própria Marina Silva também renunciou ao Ministério do Meio Ambiente por desafiar Belo Monte.

A Eletronorte, empresa que mais irá lucrar com Belo Monte, está demandando que o IBAMA libere a licença ambiental para começar as obras mesmo com o projeto apresentando graves irregularidades. Porém, em uma democracia, os interesses financeiros não podem passar por cima das proteções ambientais legais – ao menos não sem comprarem uma briga.

A hidrelétrica iria inundar 64.000 hectares da floresta, impactar centenas de quilômetros do Rio Xingu e expulsar mais de 40.000 pessoas, incluindo comunidades indígenas de várias etnias que dependem do Xingu para sua sobrevivência. O projeto de R$30 bilhões é tão economicamente arriscado que o governo precisou usar fundos de pensão e financiamento público para pagar a maior parte do investimento. Apesar de ser a terceira maior hidrelétrica do mundo, ela seria a menos produtiva, gerando apenas 10% da sua capacidade no período da seca, de julho a outubro.

Os defensores da barragem justificam o projeto dizendo que ele irá suprir as demandas de energia do Brasil. Porém, uma fonte de energia muito maior, mais ecológica e barata está disponível: a eficiência energética. Um estudo do WWF demonstra que somente a eficiência poderia economizar o equivalente a 14 Belo Montes até 2020. Todos se beneficiariam de um planejamento genuinamente verde, ao invés de poucas empresas e empreiteiras. Porém, são as empreiteiras que contratam lobistas e tem força política – a não ser claro, que um número suficiente de nós da sociedade, nos dispormos a erguer nossas vozes e nos mobilizar.

A construção de Belo Monte pode começar ainda em fevereiro.O Ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, diz que a próxima licença será aprovada em breve, portanto temos pouco tempo para parar Belo Monte antes que as escavadeiras comecem a trabalhar. Vamos desafiar a Dilma no seu primeiro mês na presidência, com um chamado ensurdecedor para ela fazer a coisa certa: parar Belo Monte, assine agora:

Petição

Acreditamos em um Brasil do futuro, que trará progresso nas negociações climáticas e que irá unir países do norte e do sul, se tornando um mediador de bom senso e esperança na política global. Agora, esta esperança será depositada na Presidente Dilma. Vamos desafiá-la a rejeitar Belo Monte e buscar um caminho melhor. Nós a convidamos a honrar esta oportunidade, criando um futuro para todos nos, desde as tribos do Xingu às crianças dos centros urbanos, o qual todos nós podemos ter orgulho.

Com esperança

Ben, Graziela, Alice, Ricken, Rewan e toda a equipe da Avaaz"

Fontes:

Belo Monte derruba presidente do Ibama

Belo Monte será hidrelétrica menos produtiva e mais cara, dizem técnicos

Vídeo sobre impacto de Belo Monte

Uma discussão para nos iluminar

Questão de tempo

Dilma: desenvolvimento com preservação do meio ambiente é "missão sagrada"

Em nota, 56 entidades chamam concessão de Belo Monte de 'sentença de morte do Xingu'

Marina Silva considera 'graves' as pressões sobre o Ibama

Segurança energética, alternativas e visão do WWF-Brasil

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Fundação Grupo Boticário financia projetos de conservação


Foto: Acervo Fundação O Boticário

Estão abertas até o dia 31 de março as inscrições para o edital de apoio a projetos do primeiro semestre de 2011 da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. O financiamento se destina a projetos de organizações não-governamentais ou fundações ligadas a universidades voltados para a conservação do meio ambiente no Brasil. As instituições interessadas devem se inscrever pelo site da Fundação, onde também estão disponíveis mais detalhes sobre o edital.

Em 20 anos de atuação, a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza já doou quase US$ 10,3 milhões para 1246 projetos de cerca de 400 instituições de todo o Brasil.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Consultoria gratuita para ONGs


A ESPM Social, iniciativa da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), está com as inscrições abertas até o dia 21 de janeiro para ONGs com sede na Grande São Paulo interessadas em receber consultoria gratuita em marketing e comunicação. O trabalho fica a cargo dos alunos da ESPM, com a supervisão de professores e especialistas, que vão orientar as instituições selecionadas sobre como melhorar a divulgação da sua atuação, buscar parceiros, organizar a gestão financeira e ampliar o atendimento, entre outras atividades. As inscrições devem ser feitas pelo site da ESPM Social.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Concurso de escultura com materiais reciclados


O edital Esculturas Urbanas, mantido pela Tetra Pak, está com inscrições abertas para projetos de escultura e/ou obras tridimensionais feitas de materiais reciclados, por estudantes de arte, arquitetura e design. Serão selecionados 15 projetos finalistas para participar da exposição Esculturas Urbanas na Praça Victor Civita, na cidade de São Paulo, de 29 de julho a 25 de setembro de 2011.

O objetivo da iniciativa é estimular a produção de jovens artistas brasileiros e, ao mesmo tempo, promover uma reflexão sobre a sustentabilidade do planeta. Para ter acesso ao edital e ao cronograma do Esculturas Urbanas, acesse o site do projeto.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Funbio seleciona projetos de conservação da Mata Atlântica


Está aberta até o dia 18 de fevereiro a chamada do edital do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) que vai selecionar projetos de conservação da Mata Atlântica em quatro temas: criação ou ampliação de unidades de conservação municipais e/ou estaduais; elaboração de planos municipais de conservação e recuperação do bioma; regularização ambiental de imóveis rurais e viabilização de projetos de pagamentos por serviços ambientais. Podem participar organizações sem fins lucrativos que atuem na conservação da Mata Atlântica e na pesquisa da sua flora e fauna. O valor do edital é de R$ 4,3 milhões.
Mais informações, o edital e os formulários estão disponíveis no site do Funbio.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Campanha do Graacc pelas redes sociais


Ajudar o Graacc em janeiro custa muito pouco - apenas um click no facebook e um post no Twitter. O Grupo TV1 está realizando uma ação nessas duas redes sociais com o objetivo de arrecadar fundos para o Graacc -Grupo de Apoio ao Adolescente e Criança com Câncer - construir um novo hospital. Por meio da campanha Espalhe Vida, a agência doa R$ 1,00 cada vez que um usuário clica “Curtir” no perfil do Facebook ou posta uma mensagem no Twitter com a hashtag #espalhevida. A meta é arrecadar R$ 15 mil até o final de janeiro.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

2011 - Ano Internacional das Florestas


A Assembleia Geral da ONU declarou 2011 o Ano Internacional das Florestas, com o objetivo de ampliar a conscientização sobre a importãncia da conservação e do manejo sustentável de todos os tipos de florestas.

A organização elaborou um site especial sobre a inicitiva, no qual os internautas encontram a agenda dos eventos programados para todo o ano. Em breve, devem estar disponíveis ferramentas para promover o diálogo entre os interessados no tema e informações sobre as iniciativas que serão realizadas ao redor do mundo para marcar a data.

Individualmente, cada um de nós deve aproveitar a ocasião para pensar de que forma podemos colaborar para preservar esse patrimônio tão importante para o planeta.