segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Rede social sobre comércio justo


Os interessados em discutir sobre consumo consciente e comércio justo ou comprar produtos sustentáveis têm uma rede exclusiva sobre o assunto em português. Trata-se da rede social AffairTrade, que, segundo seus criadores, tem como objetivo oferecer um espaço para que os internautas exponham suas idéias e atitudes em relação aos seus hábitos, promovendo a troca de idéias e experiências comerciais éticas e solidárias.

A AffairTrade é uma iniciativa da Essenciais do Brasil, do Rio Grande do Sul, primeira loja virtual de produtos naturais e orgânicos com vendas exclusivamente pela internet. Embora, à primeira vista, possa parecer que haja interesse exclusivamente comercial no projeto - a loja aproveita bastante o espaço para divulgar seus produtos -, tem muita coisa interessante na AffairTrade. No blog e no fórum, é possível conhecer produtos criativos e sustentáveis de diferentes partes do mundo, ler dicas dos membros da rede e participar das discussões.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Uma força para os vira-latas


Para chamar a atenção para a questão de maus-tratos e abandono de animais nas grandes cidades, a publicitária Luciana Sarraf criou o Projeto Celebridade Vira-Lata. Ela transformou cachorros de rua que tiveram a sorte de ser adotados em modelos para um calendário, nos moldes dos tradicionais calendários com top models. Os quinze animais selecionados para ilustrar os meses do ano foram clicados pelo fotógrafo Marco Maia, especialista em moda.

O resultado pode ser conferido no site do projeto, pelo qual é possível comprar o calendário, por R$ 20. O material também está à venda no Centro de Adoção de Animais, localizado na Av. Paulista, em São Paulo. A renda obtida será destinada a ONGs dedicadas à proteção e ao cuidado com animais.

Que tal contribuir com essa causa? Esse calendário dá um belo presente de Natal, principalmente para quem gosta de animais e de contribuir com uma vida melhor.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Doação de livros para o Natal


Não sabe que destino dar para os livros que você tem em casa e não quer guardar? Doe para bibliotecas municipais e instituições de assistência social. Outra alternativa é participar de campanhas promovidas por empresas, como a que a Droga Raia está fazendo neste final de ano.

Com a campanha "Passe adiante uma história. Doe um livro", a rede de drogarias pretende arrecadar livros para a criação ou a manutenção de bibliotecas próximas às suas 300 filiais. As instituições que receberão os livros serão escolhidas pelas equipes de cada unidade. Para contribuir, basta dirigir-se a qualquer uma das lojas da rede e deixar os livros na caixa da campanha (foto).

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ecofont deixa textos impressos mais "verdes"


Inconformados com a quantidade de tinta que se gasta para produzir materiais impressos, os designers gráficos da SPRANQ, agência de comunicação holandesa, resolveram desenvolver uma fonte mais econômica e amigável para o meio ambiente. Da extensa pesquisa realizada por eles nasceu a Ecofont, que utiliza na impressão 20% menos tinta que as fontes convencionais em razão dos pequenos círculos vazados presentes no corpo das letras.

Como foi inspirada em uma fonte open source, a vera sans, a Ecofont pode ser baixada e usada gratuitamente por qualquer pessoa, tanto em PCs quanto em MACs. Basta acessar o site - que tem uma versão em português - e fazer o download. Com essa iniciativa, a SPRANQ pretende estimular a consciência ecológica de outros profissionais e a busca de inovações tecnológicas com foco na sustentabilidade por fabricantes de software e impressoras.

Que tal fazer um teste? Além de gerar menos resíduos, você ainda vai economizar seus cartuchos de tinta.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Restaurantes sustentáveis


Quem é adepto de uma alimentação mais saudável e que cause o mínimo de impacto ao meio ambiente já encontra uma alternativa para fazer refeições fora de casa: são os restaurantes sustentáveis, que têm se multiplicado nos últimos tempos em diversas partes do mundo.

Esses estabelecimentos vão muito além de um cardápio à base de produtos orgânicos. Eles reciclam seus resíduos, procuram usar fontes de energia limpa ou equipamentos mais econômicos, utilizam materiais certificados e atóxicos na construção e nos móveis, servem água filtrada aos clientes, dispensando garrafas plásticas e de vidro, e tomam cuidados especiais com a origem dos alimentos, escolhendo hortaliças e frutas orgânicas e carnes sem hormônio, produzidos por agropecuaristas certificados, e praticando o comércio justo.

Um dos mais restaurantes mais badalados no momento é o Acorn House, que fica em Londres, Inglaterra, assim como os "verdes" Water House e The Clerkenwell Kitchen. Na Austrália, um bom representante dos restaurantes sustentáveis é o Source Foods, que fica na cidade de Perth. Nos EUA, bons exemplos são o Ecopolitan, de Minneapolis, o Harbour, de Nova York, que só usa peixes criados de forma sustentável no cardápio, e o Academy Café e o The Moss Room, ambos situados dentro da Academia de Ciências da Califórnia, na cidade de São Francisco.

No Brasil, ainda há poucas opções, e a grande maioria tem o foco apenas na comida, baseada em produtos naturais, artesanais e orgânicos - ao que parece, o conceito de sustentabilidade de forma mais geral ainda não se disseminou na área gastrônomica. Uma delas é o restaurante Paraíso Tropical, em Salvador (BA), que produz quase todos os alimentos utilizados na sua cozinha, inclusive peixes e frutos do mar, e fica numa área rodeada pela Mata Atlântica. Em São Paulo, o Fulô e o Bio Alternativa são dois restaurantes vegetarianos adeptos dos alimentos orgânicos, assim como o Celeiro, do Rio de Janeiro.

Já o McDonald's faz o contrário - mantém a comida industrializada, mas investe numa infraestrutura sustentável para suas lojas. No ano passado, a rede inaugurou um restaurante sustentável em Bertioga, no litoral paulista - o primeiro McDonald´s ecológico da América Latina. Nessa unidade, os móveis são feitos de madeira certificada, o piso foi feito com vidro de lâmpadas fluorescentes recicladas, a água da chuva é captada para uso no sistema de irrigação, nos sanitários e na lavagem dos pisos, o sistema elétrico funciona com energia solar e há um programa de coleta seletiva de lixo, entre outras ações.

De acordo com a The Green Restaurant Association, ONG americana que certifica restaurantes sustentáveis, alguns requisitos são indispensáveis para considerar um estabelecimento como tal: uso racional da água; reciclagem de materiais e compostagem de restos de alimentos; compra de alimentos orgânicos e de produção local; uso de produtos atóxicos na construção e na mobília; energia obtidas de fontes renováveis; móveis e utensílios feitos de madeira certificada ou de materiais recicláveis e/ou reciclados.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Programação gratuita sobre a COP 15


Para estimular a reflexão e o acompanhamento dos temas que serão debatidos na COP 15, que será realizada em dezembro, a Matilha Cultural vai promover entre 24 de novembro a 20 de dezembro em sua sede um evento gratuito que envolve exibições de filmes, instalações de arte, exposição de fotos, debates e ações sobre reciclagem, reuso, lixo eletrônico, desmatamento e mudanças climáticas. O objetivo do Copenhagen é aqui! é promover o debate sobre soluções para a redução do impacto ambiental das práticas cotidianas dos habitantes de São Paulo.
A Matilha Cultural fica na rua Rego Freitas, 542, Vila Buarque, São Paulo (SP).

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Lingerie ecológica


E não é que até calcinhas e sutiãs podem ser mais "verdes"? A Universo Íntimo, de Campo Grande (MS), desenvolveu três linhas de lingeries ecológicas. A Coleção Uni Bamboo, a primeira ser lançada no mercado brasileiro, tem como base tecidos feitos de fibras de bambu, uma matéria-prima natural e antibactericida, que, segunda a empresa, regula a temperatura do corpo. Já as coleções Eco Organic e 100% Algodão Organic usam algodão orgânico na sua composição -- a primeira numa proporção de 95% de algodão para 5% de elastano e a segunda, como o nome diz, na totalidade.

A iniciativa é interessante e pode ser boa tanto para seu corpo, já que as fibras naturais costumam ser mais confortáveis, quanto para a natureza.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Voto a favor da diversidade e contra a violência


O Senado Federal está realizando uma enquete no site da Agência Senado para saber se a população é a favor ou não da aprovação do projeto de lei (PLC 122/2006) que pune a discriminação contra homossexuais - tema que foi tratado aqui neste blog em agosto de 2009, em post sobre a Campanha Não à Homofobia.

Infelizmente o projeto tem sido alvo de forte resistência no Congresso, por conta da bancada evangélica. De acordo com ativistas, setores das comunidades evangélicas chegaram a hackear a enquete do Senado, para manipular os resultados a favor da sua posição.

De qualquer forma, se você é a favor da diversidade e contra qualquer tipo de violência - e a violência contra os homossexuais é só uma das muitas formas que afetam nossa sociedade hoje -, é importante dar sua opinião a nossos legisladores. Caso contrário, o Estado brasileiro, que deveria ser laico, vai continuar sendo influenciado por grupos religiosos, deixando de cuidar de grupos que são vítimas de preconceito, intolerância e atentado aos seus Direitos Humanos.

A enquete está no canto inferior direito da página principal da Agência Senado. Participe!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Gincana para ocupar os espaços públicos de São Paulo


Um dos problemas das grandes cidades é o abandono dos equipamentos públicos e a dificuldade da população em apropriar-se dos espaços urbanos, zelando e cobrando por sua manutenção.

A cidade de São Paulo vem colocando em prática nos últimos anos diferentes iniciativas para que a população usufrua mais dos espaços públicos, como a Virada Cultural e a Virada Esportiva. No dia 13 de dezembro, será a vez da Gincana São Paulo Cidade Incrível 2009, organizada pela Secretaria Municipal de Esportes, com o apoio da Adventure Camp e da Milk Comunicação. Das 7h às 20h, estima-se que 8 mil pessoas participem das diferentes etapas do evento e da fase final no Vale do Anhangabaú.

Por meio de brincadeiras e atividades lúdicas e recreativas, a gincana pretende mostrar à população os vários clubes, bibliotecas, museus, parques e outros espaços públicos onde é possível praticar exercícios e ter acesso a cultura de forma gratuita. Além disso, o evento vai promover o conceito de sustentabilidade, por meio da arrecadação de latinhas de alumínio, garrafas PET e alimentos não perecíveis e do incentivo à utilização de transporte público e bicicletas para a chegada aos locais de competição.

As inscrições podem ser feitas na Supervisão de Esportes das Subprefeituras ou pelo site da gincana, onde também é possíve conferir toda a programação e os prêmios que serão oferecidos aos ganhadores.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Futebol no Dia da Consciência Negra


O Museu do Futebol, situado dentro do Estádio do Pacaembu, terá uma programação especial na próxima sexta-feira, Dia da Consciência Negra. As atividades, que incluem exposição de fotografias, apresentação de vídeos, experiências sensoriais, jogos e contação de histórias, terão como objetivo mostrar como foi a aceitação de negros, mulatos e mestiços no esporte mais popular do país.

O futebol chegou ao Brasil sete anos depois da abolição dos escravos, e, no começo, apenas brancos o praticavam. Como se tratava então de um esporte de elite, os clubes não aceitavam a participação de atletas negros. Mas, conforme o esporte foi se tornando mais popular, os clubes passaram a refletir a diversidade cultural do país. Os interessados poderão conhecer toda a história desse processo e outras curiosidades sobre o futebol das 10 às 18 horas. O ingresso custa seis reais.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Lavanderia "verde"


Alguma vez você já se pegou pensando no que fazer com os cabides que recebe toda vez que busca uma roupa na lavanderia? Em geral, eles vão se acumulando e acabam ou no lixo ou ocupando um espaço precioso no guarda-roupa.

Para tentar minimizar o desperdício de material e o descarte inadequado de plástico no meio ambiente, a lavanderia Wash, de São Paulo, lançou uma campanha diferente, que faz bem tanto para o bolso do cliente quanto para a natureza. A cada 20 cabides devolvidos à empresa, o cliente recebe 4 reais de bônus para descontar do valor a pagar pelas lavagens ou outros serviços.

Pode parecer pouco, mas é com atitudes conscientes como essa que ajudamos efetivamente a reduzir a quantidade de lixo produzido na cidade.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Contra o aquecimento global


Quer contribuir para as discussões da COP-15, mesmo que a distância? Uma forma de fazer isso é participar da campanha Vote pelo Planeta, que está sendo realizada pelo WWF-Brasil em conjunto com a rede WWF em todo o mundo. De acordo com a organização, trata-se da primeira eleição feita simultaneamente no planeta inteiro, a favor do estabelecimento de um acordo climático justo e efetivo, capaz de manter o aumento da temperatura da Terra abaixo dos 2ºC.

Por meio de um aplicativo desenvolvido pela WWF em parceria com o Google, você se cadastra e junta o seu voto aos votos de pessoas de todas as partes do mundo, e a WWF se encarregará de apresentar a mobilização durante a Conferência, no próximo mês de dezembro. Você também pode deixar uma mensagem, ver quem já votou e as organizações e países que estão participando da campanha - como Japão, Espanha, Austrália e Canadá, além do Brasil.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Campanha para recolher lixo eletrônico


Atire a primeira pedra quem nunca foi seduzido pelo último modelo de celular, computador, televisão ou um outro eletrônico qualquer. Até eu, que sempre sou a última a aderir às mais recentes tecnologias entre os meus amigos -, de vez em quando fico tentada a trocar meus equipamentos pelos modelos mais recentes. Ainda bem que raramente faço isso.

Por causa do bombardeio de novidades, tem crescido assustadoramente a quantidade de lixo eletrônico nas grandes cidades. E, infelizmente, a reciclagem desse material é bem complicada e trabalhosa, o que faz com que os equipamentos, muitos dos quais contêm substãncias tóxicas, acabem sendo descartados em lixões, contribuindo para a contaminação do solo.

Para tentar combater o problema, foi sancionada em julho deste ano no estado de São Paulo a Lei 13.576, que obriga fabricantes, distribuidores e lojistas a recolher equipamentos usados e destiná-los a empresas de reciclagem. Só que, na prática, a lei ainda não teve resultados concretos, porque falta uma regulamentação específica. Por isso, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente está estudando a criação de uma compensação para as empresas de reciclagem, semelhante ao crédito de carbono. Pela proposta, todas as lojas de produtos eletrônicos deverão ter pontos de coleta e os fabricantes pagarão créditos para que empresas de reciclagem recolham os equipamentos usados.

Enquanto isso não vira realidade, a boa notícia é que algumas cidades já estão começando a tomar medidas por conta própria para minimizar o problema. Em Guarulhos, na Grande São Paulo, a Associação Comercial e Empresarial do município, a ACE-Guarulhos, acaba de lançar a campanha "Doe seu lixo eletrônico", com o objetivo de reciclar baterias, celulares, pilhas, videocassetes, televisores, computadores e outros aparelhos eletrônicos descartados pela população.

As empresas participantes do Núcleo de Vídeo Locadoras do Empreender-Guarulhos vão manter em suas lojas containers para que as pessoas descartem baterias, pilhas, videocassetes, computadores, televisores e outros equipamentos eletrônicos. O Instituto Recicla Cidadão, uma ONG local, fará a coleta desse material e o encaminhará para uma usina recicladora especializada.

Tomara que outras entidades sigam o exemplo da ACE-Guarulhos e se mobilizem para dar um destino adequado ao lixo eletrônico. Enquanto isso, nós podemos contribuir contendo nosso desejo de consumir e trocando os produtos quando realmente for necessário.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Livro também se recicla

Os aficionados por leitura que não têm espaço ou não querem guardar os livros que compram têm uma nova opção, além dos tradicionais sebos, para dar a eles uma destinação adequada: o Livra Livro. Trata-se de um site que intermedeia gratuitamente a troca de livros entre os interessados cadstrados. O único custo para o usuário é o do envio do livro a ser trocado pelo correio.

A idéia é simples: o usuário seleciona de uma lista os livros que tem para trocar e os livros que quer receber - caso não esteja na lista, você pode adicionar um novo título. O sistema de busca então encontra os usuários que querem trocar ou receber os livros que você selecionou e coordena a troca. Caso todos os envolvidos no processo aceitem fazer a troca, você envia seu livro pelo correio e recebe aquele que deseja. Os próprios usuários podem denunciar pessoas que não enviem os livros conforme o combinado ou que mandem exemplares em mau estado de conservação.

Também há um espaço de doação de livros, onde potenciais doadores podem encontrar instituições interessadas em receber as obras. É um bom jeito de incentivar a leitura reaproveitando um produto nobre em todos os sentidos.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Por dentro dos Selos de Certificação Ecológicos


Os selos de certificação são uma espécie de "atestado" da origem dos produtos que consumimos. Sua função é confirmar que os produtores cumpiram todos os critérios de responsabilidade social e ambiental descritos nos rótulos.

O problema é que há muitos selos de certificação diferentes, para características específicas dos produtos, e nem sempre os criterios são claros para quem compra. Por exemplo, quando um produto é orgânico? E sustentável? Além disso, há diferenças entre as certificações realizadas por organizações ou órgãos públicos e os selos criados pelas empresas que fabricam o produto.

Para não cair em armadilhas, vale a pena consultar a lista divulgada pelo Portal do Meio Ambiente, que explica, em detalhes, o que de fato atestam os principais selos encontrados no mercado brasileiro.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Papel para usar e plantar


Uma idéia criativa de reaproveitamento de resíduos vem sendo desenvolvida por algumas organizações e empresas brasileiras: o papel semente. Feito de forma artesanal, a partir de aparas e de papel descartado por indústrias, o material recebe, durante o processo de reciclagem, sementes de flores e temperos. Assim, depois de usado, basta molhá-lo, picá-lo e plantá-lo em algum local com terra adubada. Assim, em vez de lixo, o papel semente vira lindos canteiros no jardim ou dentro de casa.

O material é perfeito para produzir brindes, envelopes, crachás, embalagens, cartões, folders, etiquetas para roupas e outros produtos de papel que normalmente são descartados depois de pouco tempo de uso. Para saber mais, vale entrar nos sites das empresas que fabricam o papel semente: Instituto Papel Solidário, Papel Semente e Grupo Eco.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Embalagem solúvel em água


A edição de novembro da revista inglesa Creative Review, especializada em comunicação visual, está sendo vendida nas bancas com uma embalagem diferente: um saco plástico solúvel em água quente. De acordo com os editores da revista, trata-se da primeira publicação do mundo a testar esse novo material, desenvolvido pela empresa Cyberpac, também inglesa, formada por especialistas em embalagens criativas. Seus criadores afirmam que ela é feita de uma substância hidrodegradável cinco vezes mais forte que os plásticos convencionais, porém não tóxica e degradável por microorganismos.

Se realmente o material não oferecer riscos ao meio ambiente, é uma boa idéia para reduzir os resíduos gerados pelas publicações impressas, que usam plástico comum para proteger o papel durante o processo de distribuição e venda.