sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Buscas que ajudam florestas


Você pode ajudar a preservar as florestas de uma forma bem simples e sem gastar nenhum tostão. Como? Usando o Ecosia - uma ferramenta de busca que destina pelo menos 80% das suas receitas para programas de preservação de florestas executados pela ONG WWF. Ou seja, cada vez que um usuário clica em um link patrocinado, a maior parte do dinheiro que a empresa paga por esse link é usado para manter as florestas do mundo.

Para usar a ferramenta, basta ir até a home page e digitar o que você está procurando. Mas você também pode instalar um software no seu computador para que o Ecosia fique disponível na sua barra de ferramentas.

De acordo com os seus criadores, que contam com o apoio do Yahoo, do Bing e da WWF, cada novo usuário do Ecosia ajuda a preservar 2 mil metros quadrados de florestas. É um número significativo. Que tal se responabilizar pela sua cota?

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A onda dos produtos “verdes”


Uma das maiores dificuldades de quem se preocupa em adotar um estilo de vida mais sustentável, porém não pretende se mudar para o meio de uma floresta e viver sem as comodidades da vida moderna, é saber quais produtos à venda no mercado causam menos impacto ao planeta.

São vários os quesitos que devem ser observados: excesso de embalagem, utilização de materiais não recicláveis ou tóxicos, processos que consomem muita água e energia, por exemplo. Só que esse tipo de informação não é de fácil acesso para o consumidor. Também não é tarefa fácil saber a diferença entre produtos orgânicos, ambientalmente amigáveis, responsáveis, verdes, certificados, carbonos neutros, ecoeficientes, sustentáveis - os nomes que têm começado a estampar embalagens em lojas e supermercados brasileiros.

Para facilitar a vida dos interessados no tema, a revista Ideia Socioambiental realizou o levantamento Quem Produz "Verde" no Brasil?, que apresenta as empresas que estão investindo em produtos com atributos socioambientais. Vale a pena conferir, o trabalho explica bem porque esses itens são boas opções para o consumidor consciente.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Consumo consciente na compra do material escolar


Está na hora de voltar às aulas. As escolas já divulgaram as listas de material escolar e os pais agora correm para providenciá-lo. O problema, como mostraram diversas matérias publicadas em jornais e revistas, é que há muito exagero e desperdício. Ao que parece, falta bom senso às escolas, que não estimulam o reaproveitamento dos materiais nem a compra consciente. Por isso, os pais devem avaliar a lista com atenção e decidir sobre o que é realmente necessário e o que se pode reaproveitar do ano anterior.

Com o objetivo de facilitar essa tarefa, o Instituto Akatu pelo Consumo Consciente divulgou uma série de dicas e recomedações para a compra de material escolar. Vale a pena conferir - clique aqui. Você vai economizar não apenas dinheiro, mas também o uso de recursos naturais. Além disso, vai dar uma boa lição às crianças sobre consumo consciente. E quanto mais cedo elas aprenderem, melhor para elas e para o planeta.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Paulistano não está satisfeito com a cidade


Hoje é aniversário da cidade de São Paulo, mas para a maior parte dos paulistanos não há muito o que comemorar. Uma pesquisa encomendado pelo Movimento Nossa São Paulo ao Ibope e divulgada na semana passada revela que 57% dos entrevistados deixariam a capital paulista se pudessem e 87% consideram São Paulo um lugar inseguro para viver. A nota dada pelos paulistanos para a qualidade de vida na cidade foi de 4,8, numa escala de 0 a 10. Entre as principais causas da insatisfação dos paulistanos estão o trânsito, a desorganização da cidade, a má qualidade dos serviços públicos e a falta de confiança nos políticos.

A pesquisa faz parte dos Indicadores de Referência de Bem-Estar do Município (Irbem), ferramenta de avaliação social desenvolvida pelo Nossa São Paulo para balizar as políticas públicas da cidade de São Paulo.

Algumas ações podem ser adotadas pelos habitantes da cidade para mudar esse quadro. A principal delas é não ser omisso e exercer de fato sua cidadania. Isso significa escolher seus representantes com seriedade, cobrar providências concretas para resolver os problemas e cuidar da cidade em seu cotidiano - tomando atitudes sempre com foco na coletividade, não jogando lixo nas ruas, não agindo com agressividade no trânsito, respeitando as outras pessoas, por exemplo. Parece pouco, mas é um importante começo.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Para acabar com a caça às baleias


Apesar de todas as ações e protestos que vêm sendo realizados há anos, empresas pesqueiras japonesas continuam caçando baleias na Antártica. Por isso, o Greenpeace criou uma simpática e criativa campanha para pressionar o governo do Japão recém-eleito a mudar a legislação do país, proibindo a atividade baleeira. No site Envie uma Baleia (Send a Whale em inglês), o interessado em contribuir pode criar uma baleia virtual de origami, com sua mensagem pessoal de protesto, que será enviada ao governo japonês. Também é possível compartilhar a campanha com todos os seus contatos pelo Facebook, Twitter e outras redes sociais. Assim, espera-se mobilizar cada vez mais gente para essa causa.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Lixo nas ruas e represas pioram enchentes


Com certeza falta investimento do poder público em vários setores para acabar de vez com as enchentes em São Paulo. Mas uma grande parcela de responsabilidade pelo problema é da própria população. A quantidade de lixo jogado nas ruas todos os dias é absurda. Esse lixo não só entope bueiros e bocas de lobo, mas também acaba indo parar nos rios e represas da cidade.

Para se ter uma idéia do tamanho da encrenca, em dezembro a Sabesp retirou mais de 11 toneladas de lixo só da represa Guarapiranga, uma das fontes abastecimento de água da cidade de São Paulo. Foi o maior volume registrado desde que a companhia iniciou um programa de coleta de lixo na represa e nos rios e córregos que a alimentam.

Enquanto a população não se conscientizar de que ela também contribui e muito para provocar as enchentes e que não basta esperar pela ação da Prefeitura, a cada chuva mais forte todos vamos continuar sofrendo as consequências dos alagemtnos.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Lixo no mar = tartarugas mortas


Além de enfeiar e poluir as areias, o lixo deixado nas praias - que, em alguns lugares, chega a quantidades absurdas, como já comentei em outro post - tem outra consequência nefasta: a morte de animais marinhos.

O Projeto Tamar acaba de divulgar o resultado de um levantamento feito entre janeiro e agosto de 2009 sobre a causa da morte das tartarugas marinhas no litoral brasileiro. Os números são assustadores: mais de 44% das 266 tartarugas examinadas pela equipe do projeto em Sergipe, Ceará, Bahia, Espírito Santo, São Paulo e Santa Catarina morreram por ter comido lixo, principalmente plástico.

E o que você pode fazer para ajudar a mudar essa situação? Quatro coisas básicas: usar menos produtos e embalagens de plástico, encaminhar para reciclagem a maior parte possível do seu lixo, recolher todo o lixo que você gerar em suas idas à praia e conscientizar familiares, amigos e todos ao seu redor - conhecidos ou não - sobre a importância de manter as areias e os mares limpos.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Apoio ao empreendedorismo social


A Auire, empresa social dirigida por Fernando de Oliveira Gil e Nathalia Sautchuk Patrício, pesquisadores da USP, é uma das finalistas do programa de incubação inaugural do Unreasonable Institute. O projeto com o qual eles estão concorrendo é muito interessante: um identificador de cores e de cédulas de dinheiro de baixo custo para pessoas com deficiência visual.

O instituto oferece um programa intensivo de treinamento, incubação, apoio e financiamento a jovens empreendedores de todo mundo para transformar em realidade projetos com foco social ou ambiental. Os selecionados passarão 10 semanas na sua sede em Boulder, Colorado, EUA, para aprender como colocar suas idéias em prática. Ao final, terão contato direto com 200 investidores. Para chegar à etapa final, os empreendedores tiveram que provar que o projeto pode tornar-se autosuficiente em um ano, atingir 1 milhão de pessoas e expandir-se para fora de seu país de origem em menos de três anos.

Agora, eles devem passar por uma nova etapa. O programa de incubação custa US$6.500,00 por projeto. Porém, os empreendedores não podem pagar diretamente por ele. Cada um deles deve arrecadar doações para sua ideia. Em cada semana haverá um limite para doações por pessoa (US$10,00 na primeira), para que seja atingido o maior número de pessoas possível. Serão selecionados os 25 empreendedores que conseguirem mais doadores. Para apoiar o projeto da Auire, basta acessar a página dos finalistas no site do instituto a partir do dia 22 de janeiro e fazer sua doação.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Cabides sustentáveis


Volta e meia me deparo com idéias criativas de transformar materiais que normalmente iriam para o lixo em novos produtos. Desta vez, são cabides. O modelo da Rethink Concepts aproveita garrafas PET (acima); o Hangerpak, do designer Steve Haslip, utiliza embalagens de papelão (abaixo). Com os dois modelos, o consumidor reduz a quantidade de lixo que produz e ainda dá um toque descolado ao armário. Será que alguém se habilita a adaptar esses modelos para o Brasil?



quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

“Onda Limpa” promove limpeza nas praias cariocas


Depois do preocupante ranking do lixo nas praias, uma boa notícia: a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) do Rio de Janeiro lança neste sábado, dia 16/01, o Projeto Onda Limpa, com o objetivo de conscientizar os frequentadores das praias cariocas a não deixar lixo, como garrafas pet, coco, embalagens e restos de comida, na areia e nos calçadões.

Para facilitar o trabalho de educação ambiental, a Comlurb vai instalar tendas institucionais na areia e distribuir sacolas plásticas oxi-biodegradáveis, histórias em quadrinhos sobre a limpeza das praias e quebra-cabeças com temas educativos. O projeto terá início em Copacabana e depois será realziado nas praias de Barra de Guaratiba, Barra da Tijuca, Piscinão de Ramos e Ipanema.

Seria bom se as prefeituras de todas as cidades localizadas no litoral brasileiro tivessem uma iniciativa como essa, para evitar a degradação das nossas praias.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Pão de Açúcar lança blog "verde"


Está no ar desde o final de dezembro passado o blog Pão de Açúcar Verde. Nesse espaço, a rede de supermercados apresenta as ações em sustentabilidade de suas lojas e marcas e recebe comentários dos consumidores. Entre as novidades apresentadas, estão a inauguração do primeiro supermercado ecológico da cidade de São Paulo - a loja Pão de Açúcar da Vila Clementino - e a implantação dos caixas verdes - em que o consumidor deixa para reciclagem na própria loja as embalagens dos produtos que acabou de comprar

Vale a pena conhecer, porque o Pão de Açúcar tem investido pesado para tornar suas lojas mais ecológicas e sustentáveis e disseminar informações para que o consumidor seja mais consciente.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Deixe as praias limpas!


Sete toneladas e meia! Essa foi a quantidade de lixo que os turistas e os moradores deixaram em um único um dia do fim de semana em um trecho de 1 km da praia de Piatã, em Salvador. A capital baiana foi a triste campeã do ranking do lixo elaborado pelo programa Fantástico, mas infelizmente não está sozinha. Em Fortaleza, a segunda colocada, foram recolhidas 6,6 toneladas na Praia do Futuro - das quais 70% são cascas de coco. Em seguida no ranking do lixo vêm Guarujá (Pitangueiras), com 5 toneladas; Recife (Boa Viagem), 2,35 toneladas; Natal (Redinha), 1 tonelada.

Ou seja, como se não bastasse a contaminação das águas do oceano pelas emissões de esgoto das cidades litorâneas, a população ainda piora a situação jogando lixo na areia ou levando seus animais de estimação para as praias. Atitudes simples, como levar um saco para trazer o lixo para casa ou levantar da cadeira para usar as lixeiras disponíveis em muitas das praias brasileiras, já ajudariam a reduzir muito o problema.

Faça a sua parte. Curta a praia e deixe-a limpa, para que você - e todas as pessoas - possam aproveitá-la muitas outras vezes.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

2010 é o Ano da Biodiversidade


O planeta perde todos os dias diversas espécies animais e vegetais em razão da interferência humana sobre o meio ambiente. E, de acordo com diferentes organizações internacionais, esse problema vem crescendo assustadoramente.

Para conscientizar a população mundial sobre essas questão, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Ano Internacional da Biodiversidade em 2010. Uma série de eventos e ações serão realizadas em todo o mundo sobre o tema. No Brasil, o primeiro evento ocorreu na última sexta, dia 8/1, em Curitiba. O próximo acontecerá em Brasília, no dia 24 de junho.

No site oficial da iniciativa, disponível em inglês, espanhol e francês, é possível conhecer a importância da biodiversidade para a humanidade, consultar um calendário das ações em todo o mundo, saber o que está sendo feito para combater a perda da biodiversidade, além de ter acesso a diversos recursos multimídia que podem ser usados pelas entidades e pessoas interessadas em promover um evento sobre o Ano Internacional da Biodiversidade.