terça-feira, 30 de junho de 2009

Fora Sarney: sustentabilidade também inclui ética


Quando se fala em sustentabilidade, a primeira coisa que vem à cabeça é a questão ambiental. Mas a sustentabilidade envolve muito mais que consciência ecológica. Há questões sociais importantes a resolver. E a solução para boa parte delas é ÉTICA.

E não dá para falar de ética sem falar dos escândalos do Senado brasileiro. Por isso mesmo, apóio o movimento "Fora, Sarney", que começou no Twitter e começa a extrapolar o mundo virtual.

Para participar, basta seguir e divulgar o perfil do movimento no Twitter e contribuir com o blog, que está angariando assinaturas contra a permanência à frente do Senado desse legítimo representante de um Brasil atrasado e retrógrado, que deveria já estar enterrado há tempos.

Da mesma forma que não se pode ficar parado enquanto o planeta é destruído por um modelo econômico predatório, não dá mais para aguentar os escãndalos na política brasileira sem fazer nada. Pense nisso e participe!

Para saber mais sobre as barbaridades no Senado:
Estadão 1, Estadão 2, Folha de SP 1 e Folha de SP 2.

Uso consciente de sacolas plásticas, de novo...


Bom, já falamos aqui dos impactos negativos das sacolas plásticas no ambiente. Agora é a vez do Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançar uma campanha para reduzir o uso de sacolas plásticas em supermercados e lojas: "Saco é um Saco".

A campanha, realizada pela rede Wal-Mart, procura estimular a redução do consumo de sacolas plásticas e o uso de embalagens ambientalmente mais adequadas. Ela é composta por dois filmes para TV -- estrelados por José Júnior, fundador do grupo AfroReggae -- e por um blog, onde, além de assistir os filmes, você encontra dicas e informações sobre como diminuir seu consumo de sacolas plásticas.

domingo, 28 de junho de 2009

Faça seu dinheiro "verde" também


Você também pode contribuir para um mundo mais sustentável na hora de investir o seu dinheiro. Praticamente todos os grandes bancos hoje oferecem opções de "fundos verdes", isto é, fundos de investimentos lastreados em empresas que reconhecidamente mantêm boas práticas econômicas, sociais e ambientais ou que atuam em setores voltados para o desenvolvimento responsável do planeta.

Uma forma de saber quais são essas empresas é visitar o site do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bovespa. Criado há dois anos, ele tem em sua carteira empresas com boas práticas de governança, responsabilidade social e ambiental.

A vantagem de aplicar nas ações dessas empresas não se resume à boa intenção de preservar o planeta. Essas empresas costumam ter melhor desempenho financeiro ao longo dos anos, porque apresentam risco mais baixo de problemas financeiros, causados por má gestão, além de passivos trabalhistas e ambientais.

Algumas instituições oferecem ainda benefícios adicionais, como a possibilidade de receber, além do retorno financeiro, um valor equivalente a um crédito de carbono – certificados emitidos para projetos de redução de gases na atmosfera – para determinado valor investido pelo cliente.

Interessado? Então consulte seu banco e veja as opções disponíveis.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Como descartar lâmpadas fluorescentes?


As lâmpadas fluorescentes desempenham um papel muito importante na redução do consumo de energia. Cada unidade de 12 watts, equivalente a uma lâmpada incandescente comum de 60 watts, permite uma economia de 2 reais todo mês na conta de luz, além de durar muito mais tempo (8 mil horas contra 750 horas das lâmpadas comuns). Agora faça as contas de quantas lâmpadas você tem em casa e veja quanto poderia economizar de energia se trocasse todas por modelos fluorescentes. Bastante, certo?

O problema com as fluorescentes aparece na hora de jogá-las no lixo. Por conter mercúrio, uma substânica tóxica, elas precisam ser descartadas em local apropriado, para não contaminar pessoas e o meio ambiente. No entanto, não há uma política pública de coleta desse tipo de material, e os conumidores acabam descartando no lixo comum.

Existem algumas empresas que fazem a reciclagem das lâmpadas fluorescentes, mas elas são muito poucas para o volume comercializado hoje: são apenas 10 em todo o país, segundo o portal Coleta Seletiva Solidária, mantido pelo Ministério do Desenvolvimento Social. E, em geral, elas só atendem empresas, que utilizam grandes quantidades dessas lâmpadas em suas instalações.

Para o consumidor, resta contar com a boa vontade de alguns lojistas, que aceitam receber lâmpadas usadas na compra de unidades novas. Na cidade de São Paulo, por exemplo, a loja CIME oferece esse serviço para seus clientes.

Tomara que muito mais gente siga esse exemplo e facilite a vida do consumidor que queira contribuir para a reciclagem das lâmpadas. Ou que se crie uma legislação consistente para tratar melhor do assunto, como já se fez com as baterias de celulares, cujos fabricantes são obrigados a receber o material descartado pelo consumidor.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Abaixo o desperdício de comida!


Aposto que ninguém gosta de jogar dinheiro fora. Mas também aposto que pouquíssima gente percebe o tamanho do ralo que engole seu dinheiro todo mês. Sim, ele está na cozinha, mas não dentro da pia, e sim na lista de supermercado.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Akatu, cerca de 1/3 de todos os alimentos comprados em uma casa é jogado no lixo. Sim, é isso mesmo: um terço! Isso significa não só desperdício de comida (que poderia estar alimentando gente que não tem o que comer) e dinheiro (que você podria estar usando para coisas mais úteis). Também há gastos com as embalagens, energia e outros recursos naturais usados na produção desses alimentos.

Para tentar mudar esse quadro, o Akatu está mobilizando os consumidores contra o desperdício. No site da campanha, você encontra informações detalhadas sobre esse problema e dicas para melhorar o aproveitamento dos alimentos na sua casa, além de uma calculadora para você checar quanto desperdiça por mês.

Apesar de a locução ser meio chatinha, vale a pena conferir a campanha e cuidar melhor das suas compras. E não esqueça de levar a sacola retornável na sua próxima visita ao supermercado!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Reciclagem de embalagens longa vida


Muita gente fica em dúvida, mas é possível reciclar as embalagens longa vida. O material é feito com 75% de papel, 20% de plástico e 5% de alumínio. No processo de reciclagem, esses componentes são separados e usados para a produção de diferentes peças.

Por isso, inclua as caixas de longa vida na sua coleta seletiva de lixo. Basta retirar os restos de alimento das embalagens, desdobrar suas "orelhas" e amassá-las. Depois, descarte-as no recipiente destinado ao papel.

Também existem postos específicos de coleta de embalagens longa vida. A Tetra Pak, fabricante desse tipo de embalagem, disponibiliza em seu site uma ferramenta de busca, chamada Rota da Reciclagem, para você saber onde está o posto mais próximo de sua casa ou trabalho. Além disso, a empresa mantém um hot site com informações sobre todo o ciclo de vida das embalagens longa vida. Para quem tem interesse nesse assunto, vale a pena conferir.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Sete coisas que podem nos destruir - e ao planeta


Como a espécie humana é a responsável pela degradação do planeta Terra, não é possível falar de sustentabilidade sem falar em uma profunda mudança de comportamento das pessoas. Por isso, segue a lista que o líder indiano Gandhi fez das sete coisas que podem nos destruir (e ao planeta):

Riqueza sem trabalho
Prazer sem responsabilidade
Conhecimento sem valores
Negócios sem ética
Ciência sem compromisso humano
Religião sem altruísmo
Política sem princípios

São esses fatores que devemos modificar se quisermos realmente deixar um futuro decente para as próximas gerações.

(Lista citada por Lia Diskin, da Associação Palas Athena, na Conferência Internacional Ethos 2009).

terça-feira, 16 de junho de 2009

Sacolas mais ecológicas para as compras


Você sabe o que é uma sacola plástica oxibiodegradável? Na aparência, ela é igual às demais sacolas de supemercado comuns, mas recebe um aditivo químico que faz com que se decomponha em aproximadamente 18 meses quando exposta a sol, calor, umidade e à ação de microorganismos. Já a sacola comum leva de 100 a 200 anos para ser completamente degradada.

Essa é a solução que algumas redes de supermercados em diferentes cidades do país têm adotado para reduzir seus impactos no meio ambiente. Sorocaba, no interior de São Paulo, já aderiu à novidade, assim como Maringá, no Paraná. No entanto, especialistas dizem que essas sacolas continuam causando danos ao meio ambiente.

Com o objetivo de combater o desperdício de sacolas plásticas, a rede Pão de Açúcar adotou o uso de sacolas mais resistentes, evitando a necessidade de usar dois ou três sacos sobrepostos para carregar um mesmo volume. Com isso, a rede espera reduzir em até 20% o número de embalagens que circulam em suas lojas neste ano. Além disso, as novas sacolas podem ser reutilizadas e também entregues para reciclagem em unidades da própria rede.

No entanto, as sacolas de pano retornáveis ainda são a melhor opção para levar as compras para casa, embora consideradas pouco práticas pela maior parte dos consumidores. Só elas conseguiriam retirar das ruas os cerca de um bilhão de sacos plásticos que circulam por ano nas grandes cidades. Estima-se que cada família utilize por ano 66 sacos por mês, descartando no lixo 40 quilos de plástico por ano.

Além de ajudar a evitar o descarte de grande quantidade de plástico no meio ambiente, as sacolas retornáveis têm mais uma grande vantagem: por terem um tamanho limitado, contribuem para manter a lista de compras apenas nos itens realmente necessários a cada ida ao supermercado. E comprar apenas o necessário reduz o desperdício de comida e de dinheiro. E quando você precisar realmente fazer uma compra grande -- e, nesse caso, usar o carro para carregar os produtos até em casa --, peça aos empacotadores que coloquem as mercadorias dentro de caixas de papelão. Pelo menos esse material é reciclável.

Fontes: Funverde, Planeta Sustentável.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Segunda-feira sem carne


O ex-Beatle Paul McCartney acaba de lançar na Inglaterra a campanha Segunda-Feira Sem Carne (Meat Free Monday em inglês). O objetivo é contribuir para o combate às mudanças climáticas, já que, segundo pesquisas internacionais, a criação de animais de corte gera cerca de 18% das emissões mundiais dos gases responsáveis pelo aquecimento global. A redução do consumo de carne pode ser uma forma, então, de diminuir as emissões desses gases.

De acordo com Paul McCartney, que é vegetariano de longa data, deixar de comer carne pelo menos um dia por semana já é uma contribuição significativa para um mundo mais limpo, mais sustentável e mais saudável. Para o músico, essa mudança de hábito não apenas ajuda a combater a poluição, como também a promover a saúde, o tratamento ético dos animais e o combate à fome mundial, entre outros benefícios.

Para saber mais, acesse o site oficial Meat Free Monday. Além de detalhes sobre o lançamento e a campanha, você pode participar de debates sobre o tema, calcular quanto carbono você vai deixar de emitir se parar de consumir carne uma vez por semana e receitas de pratos sem carne.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Contra a Medida Provisória da Grilagem na Amazônia


No último dia 02/06, o Senado brasileiro aprovou a MP 458, que trata da regularização de terras ocupadas ilegalmente na Amazônia. A MP permite à União transferir, sem licitação, terrenos de sua propriedade, de até 1,5 mil hectares, aos ocupantes das áreas. O texto aprovado segue, agora, para a sanção presidencial.

O problema é que, com a MP, 67 milhões de hectares de terras públicas da Amazônia ficarão em maõs privadas, principalmente nas mãos dos grileiros.

Quem é contra essa situação tem até o dia 25/06 para se manifestar. Basta entrar em contato com o Gabinete do Presidente Lula pedindo para que a MP 458 não seja aprovada. Os telefones são (61) 3411-1200 e 3411-1201. Para enviar um email, acesse o formulário Fale com o Presidente disponível no site da Presidência da República.

Para entender melhor o tema, recomendo o texto publicado no site do Greenpeace e o artigo de Edélcio Viga, do Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos).

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Ainda sobre preto na tela


Para quem quer aderir mesmo à campanha para redução no consumo de energia, seguem mais opções: o Google Black e o Pretog. O primeiro é a versão da página de busca do Google com fundo preto. O segundo é um site de busca na base de dados do Google, também com fundo escuro. A diferença entre eles é que apenas a primeira página do Google Black é escura -- os resultados da pesquisas e as outras opões de pesquisa (imagens, notícias, etc.) aparecem na tradicional tela com fundo branco. No Pretog, o preto impera.

Dica de KK Zopi via Twitter.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Apague um quadradinho da tela do computador


Na linha da Blackback web theory, da qual falei num post anterior, o Greenpeace acaba de lançar a campanha Greenpeace BlackPixel. Você instala um programa no seu computador que coloca um quadradinho preto na tela do seu monitor. Com isso, reduz o consumo de energia.

Como a maior parte dos sites não usa fundos de cores escuras, essa é uma saída para economizar energia. A meta do Greenpeace é chegar a 1 milhão de Black Pixels instalados, que permitiriam uma economia de 57 mil watts/hora, o equivalente a 1.425 lâmpadas de 40W apagadas por uma hora.

O programa BlackPixel pode ser baixado gratuitamente do site da campanha. Mas muna-se de uma boa dose de paciência. O site é lento e pouco amigável.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Celulares "verdes"


De olho nos consumidores mais exigentes e conscientes, diferentes empresas fabricantes de celulares têm lançado aparelhos ecológicos. Alguns são carregados com energia solar, outros são confeccionados com materais reciclados ou com menos substâncias tóxicas, têm embalagens menores e manuais eletrônicos, que dispensam o uso de papel.

Para ajudar na escolha do aparelho mais "verde", o Greenpeace realizou um estudo chamado "Procurando... Por Eletrônicos Verdes" (Searching... For Green Electronics, em inglês). No documento, você pode ver os melhores desempenhos em questões como eficiência energética, ciclo de vida do produto, entre outras -- e não só celulares, mas também notebooks e computadores.

Vale a pena dar uma olhada na pesquisa antes de ir às compras da próxima vez. Assim, dá para saber se realmente o aparelho que você pretende comprar é ecologicamente correto mesmo ou se só levou um banho de "marketing" para ter mais apelo comercial.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Sete bilhões de árvores


O Fundo das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP) está promovendo a campanha Bilhões de Árvores para ajudar a reflorestar o planeta. A meta é plantar sete bilhões de árvores - uma para cada habitante do mundo - até o final de 2009.

Segundo o UNEP, três bilhões já foram plantadas. Ainda faltam 4 bilhões. Então, que tal dar uma forcinha, aproveitando o Dia Mundial do Meio Ambiente, que será comemorado amanhã?

Você nem precisa colocar a mão na terra para isso. Se preferir, pode plantar árvores via internet, com um clique do seu mouse. Basta acessar o site Clickarvore, mantido pela ONG SOS Mata Atlântica em parceria com o Instituto Ambiental Vidágua e o Grupo Abril, com o apoio de empresas patrocinadoras. Você só precisa preencher um cadastro e clicar. Os patrocinadores pagam as mudas e os voluntários da SOS Mata Atlântica plantam. Simples assim.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Vamos cuidar da Terra


A partir do próximo dia 5, Dia Mundial do Meio Ambiente, vai ser possível assisir a documentário Home – Nosso Planeta, Nossa Casa, dirigido pelo fotógrafo francês Yann Arthus-Bertrand e distribuido pelo cineasta Luc Besson. Combinando sons, imagens da Terra vista do céu e uma narração sobre os danos ambientais causados pela humanidade, eles pretendem chamar a atenção para o estágio de devastação do planeta.

O filme vai ser exibido gratuitamente em 87 países, com dublagens em 14 línguas. Várias ações marcarão seu lançamento na sexta-feira, entre ela uma exibição ao ar livre no Central Park, em Nova York, e no Champs de Mars, em Paris.

Ficou interessado? Acesse o site em português de Home para assitir o trailer e obter mais informações. Após o lançamento mundial, também será possível baixar o filme pela internet.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Viagem sustentável


Se você está preocupado com o futuro do planeta, é importante prestar atenção nas suas atitudes em todos os momentos. E as viagens de férias estão incluídas nisso. Mesmo que você não seja adepto do ecoturismo, algumas ações simples podem fazer de você um viajante consciente. Veja as sugestões do Instituto Ecológico Aqualung:

* Durante a viagem, procure minimizar os impactos ambientais, sociais e econômicos da sua visita;
* Lembre-se: você é o convidado;
* Seja culturalmente sensível e respeite os costumes locais;
* Fique o tempo suficiente em cada lugar para poder apreciá-lo;
* Viaje por meio de seus próprios músculos;
* Cuidado para não introduzir plantas e animais exóticos nos locais que está visitando;
* Deixe o lugar mais limpo do que você encontrou;
* Familiarize-se com as regulamentações locais;
* Não utilize sabão ou detergente em áreas naturais;
* Durante a viagem, gaste seu dinheiro nos comércios locais;
* Seja consciente se for comprar produtos animais e vegetais. Não os consuma se a espécie estiver ameaçada de extinção, for rara ou se a atividade não é legalmente reconhecida;
* Não encoraje o comércio ilegal comprando produtos feitos com espécies ameaçadas.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Twitter por árvores


O próximo 5 de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente. O tema deste ano é "Seu planeta precisa de você! Unidos para combater as mudanças climáticas", escolhido com o objetivo de chamar a atenção para a responsabilidade de cada um na proteção do planeta.

Para reforçar essa responsabilidade, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente - cuja sigla em inglês é UNEP - criou uma campanha interessante: vai plantar uma árvore para cada twitterer (o equilvalente a twitteiro, ou seja, usuário do Twitter) que seguir o perfil da organização no microblog.

Vamos nessa? Seguir o UNEP não custa nada, você fica por dentro de ações importantes para a conservação do planeta e ainda ajuda a Terra a ficar mais verde. O perfil é UNEPandYou.