segunda-feira, 31 de maio de 2010

Marketing com boas intenções


Dois produtos tradicionais adotaram como ações de marketing a conscientização sobre temas importantes para sociedade: o meio ambiente e a boa convivência entre as pessoas.

A empresa Danone acaba de lançar uma edição limitada do Danoninho sabor morango, chamada Danoninho para Plantar. O produto vem com um sachê de sementes para que as crianças usem o potinho vazio como vaso para plantar hortalizças e flores. O objetivo, segundo a empresa, é incentivar a experiência e a educação ecológica das crianças, que, com um código impresso na embalagem do produto, podem ainda criar uma árvore virtual na "Floresta do Dino" no site da campanha.

Já o tradicional bombom Sonho de Valsa procura estimular a gentileza em sua campanha para o Dia dos Namorados. Os comerciais da marca vão mostrar diversas situações em que um rapaz pratica gentilezas com a sua namorada e, no final, entrega a ela um Sonho de Valsa. Em uma época com tantos casos de violência doméstica, nada melhor que incentivar um relacionamento gentil e respeitoso entre os casais.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Abraço Guarapiranga neste domingo


A quinta edição do Abraço Guarapiranga acontece neste domingo, 30 de maio, em três pontos da represa, que abastece quase 4 milhões de pessoas na capital paulista. O objetivo do evento é mobilizar a população para exigir investimentos em ações de recuperação e preservação do manancial e contenção da devastação ao redor da represa. Veja a programação:

Parque Ecológico da Guarapiranga

Estrada do Riviera, 3.286

8h – Concentração - Jardim Ângela e caminhada até o Parque Ecológico

10h30 - Missa Campal no Parque Ecológico e plantio de mudas

12h – Abraço simbólico


Barragem

Av. Robert Kennedy, altura do nº 1.170, com Av. João de Barros

9h30 – Início das oficinas ambientais, apresentação do Maracatu Ilê Aláfia, Capoeira e plantio de mudas

10h30 – Passeio Ciclístico

12h – Abraço simbólico


Solo Sagrado

Estrada do Jaceguai, 6.567, Parelheiros

10h30 – Plantio de mudas

12h00 – Abraço simbólico


Para saber mais sobre a situação da Represa de Guarapiranga e outros manaciais basileiros, clique aqui.

Tweet em favor do Código Florestal


O Greenpeace continua sua cibercampanha contra as mudanças no Código Florestal brasileiro. Se você é a favor das nossas florestas e deseja participar, veja a mensagem da ONG, que reproduzo abaixo, e envie mensagens ao deputado Aldo Rebelo por Twitter.

Mensagem do Greenpeace
Olá, ciberativista

Em breve, o Brasil conhecerá a proposta do deputado Aldo Rebelo de um novo Código Florestal, prometida para o dia 1o de junho. Seu texto, mais do que tratar de Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal, será a tradução da visão que ele tem sobre o futuro de nossas florestas. Uma visão ultrapassada, que não consegue articular desenvolvimento com proteção ambiental.

Por isso, nossa questão com ele não é pessoal. É um assunto que interessa a todos os brasileiros, e que está profundamente ligado ao modelo de desenvolvimento que queremos.

Recentemente, governo e empresas brasileiras se comprometeram com o fim do desmatamento na Amazônia. Desde 2009, ambientalistas e agricultores familiares (74% do total de agricultores brasileiros, segundo o IBGE) juntam suas posições em torno da manutenção de um Código Florestal forte, que protege a pequena agricultura e o meio ambiente. Todos esses atores formam um cenário de valorização florestal que é apoiado pela sociedade civil.

Nessa reta final, precisaremos do seu apoio mais do que nunca para pedir aos parlamentares ruralistas que deixem as florestas em paz.

Pedimos a você, agora, que escreva no Twitter de Aldo Rebelo e reforce que você quer que ele deixe nossas florestas em paz.

Proteja a Amazônia, participe da ciberação Aldo Rebelo.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Novo site sobre sustentabilidade


Foi lançado hoje o site Sustentabilidade com Pimenta, de Nelmara Arbex, que é doutora em Física e trabalha com o tema há mais de 10 anos. Brasileira, ela vive na Holanda há quatro anos, onde atua na GRI, organização responsável pela disseminação de diretrizes para a produção de relatórios de sustentabilidade.

O objetivo do site é, segundo a autora, "apimentar a tão urgente discussão sobre sustentabilidade". Na verdade, sua intenção é apresentar um novo olhar para questões que são muito discutidas, porém pouco aprofundadas. Embora eu seja suspeita, por ser uma das colaboradoras do site, recomendo a visita.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Curitiba faz campanha para castrar animais gratuitamente


A Prefeitura de Curitiba acaba de lançar um projeto para promover a castração de animais domésticos e a conscientização sobre a guarda responsável. Um ônibus, apelidado de Castramóvel, foi equipado com materiais e equipamentos cirúrgicos e um local para os cuidados pós-operatórios e circulará pelos bairros de Curitiba e pela região metropolitana da capital paranaense para oferecer gratuitamente o serviço de esterilização de animais à população de baixa renda. Em contrapartida, as pessoas que levarem animais para castração terão que participar das atividades de educação sobre guarda responsável.

Excelente ideia que deveria se tornar política pública em todas as cidades do país. Assim, diminuiríamos o número de animais abandonados e maltratados pelas ruas.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Onda Verde pela biodiversidade


No próximo dia 21, será realizado o movimento Onda Verde, em comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade (no 22 de maio). Nesse dia, escolas, ONGs, empresas e indivíduos vão realizar diversas atividades em benefício do meio ambiente. O objetivo do movimento é conscientizar as pessoas de todas as idades sobre a importância de conservar a biodiversidade.

No Brasil, o movimento é coordenado pela
Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, que mantém um blog com informações sobre o movimento. Ali, os interessados em aderir encontram dicas do que podem fazer no dia 21 de maio, como plantio de árvores nativas, ações de arborização urbana, uso de roupas verdes, atividades escolares, entre outras. Que tal dar uma passada lá e escolher uma forma de participar?

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Moda Sustentável


Reproduzo aqui um texto divulgado hoje pela Agência Envolverde sobre moda sustentável. Não se trata de usar tecidos orgânicos, como normalmente se fala por aí, mas de adotar uma nova atitude em relação ao vestuário. Vale a pena ler e pensar nisso.

O texto foi escrito por uma escritora europeia, então é preciso levar em consideração as condições de vida dos países europeus. Mas praticamente tudo se aplica ao Brasil.

Moda Sustentável

Por Sabrine Lage*

As mulheres passam 85 % do tempo a usar 15 % do vestuário que têm. E se não se sentirem bem com o que vestem, compensam com comida. Com o desenvolvimento da industrialização, perdeu-se a faculdade de julgar a qualidade de uma peça. Afinal, por que razão vale mais ter desejos maravilhosos do que realidades medíocres?

“Quando uma mulher se sente perfeitamente bem vestida, pode esquecer este aspecto dela mesma. É o que se denomina de charme. E quanto mais for bem sucedida em esquecê-lo, mais charme terá”, já dizia Francis Scott Fitzgerald.

Libertar a imaginação ao preferir peças manufacturadas segundo as tradições que recorrem ao saber, à experiência, à sabedoria transmitida por artesãos, de geração em geração; reduzir o recurso a criações de artistas individuais - que, em alguns casos, apenas procuram fazer fortuna -; eliminar as compras excessivas de “imitações” e vestuário produzido em condições desconhecidas do outro lado do mundo e de qualidade medíocre; é optar por um caminho em que cada peça é única, numa fuga assumida à padronização. Se possível, compre peças de estilistas locais. Se preferir estilistas americanos (latinos ou não), opte, pelo menos, por made in no mesmo continente.

Lojas de rua em vez de shoppings, quer no país onde reside ou fora dele, trarão outras alegrias. Entregue-se a mimos e cumplicidades e desfrute de uma confiança e conhecimento que lhe permita dizer não, ao mesmo tempo que se deixa brindar com um tratamento personalizado (acesso antecipado a promoções; reserva de peças que a vendedora saiba corresponder ao nosso estilo e tamanho, etc.), inatingível face a constantes mudanças de pessoal (nos shoppings). E leve o seu próprio saco (de pano) às compras. Nada de acumular sacos de plástico ou de papel desnecessários. Só não abdique da caixa de sapatos!

Fora com as peças faz-de-conta! Privilegiar materiais nobres e “virar as costas” a peças “faz-de-conta” (frequentemente made in China) garantem uma beleza eterna de graciosidade e elegância. Optar pela qualidade de básicos que envelhecem bem, comprar um saco de qualidade ou um colar de pérolas proveniente de um bom joalheiro pode ser qualificado de snobismo. Contudo, basta saber como estas peças foram manufacturadas para entender o seu custo e a sua qualidade. Experimente, por exemplo, a diferença entre lingerie sintética e de seda, junto à sua pele (e na sua gaveta) dando primazia a uma peça interior óptima, ao invés de dez medíocres... Agradece o seu guarda-roupa por “respirar” de novo - com menos peças por centímetro quadrado -, como a gestão do seu dia-a-dia. Basta abandonar, no passado, os dias em que perdia a conta das peças que “enchiam” o seu labiríntico guarda-roupa ou da “caça” às peças desaparecidas no fundo do mesmo. Pronta para dar o primeiro passo?

“O que voltaria a comprar se perdesse a mala numa viagem?”

Tente imaginar viver alguns meses com um guarda-roupa limitado a:

• 7 conjuntos de exterior (casaco, impermeável, sobretudo...)
• 7 peças (pull-over, pólo, camiseta, blusa, camiseiro, túnica...)
• 7 peças (calças, jeans, saia, vestido...)
• 7 pares de calçado (para caminhar, botins, botas, escarpins, bailarinas – melissas -, sandálias, calçado de interior, etc.)
• alguns acessórios (xaile em pashmina, lenços, cintos, chapéus, luvas...)
• roupa íntima, como a lingerie (é um lote à parte, mas deve ser tão estudado e pensado quanto o restante).

Ser ou não ser cúmplice do Capitalismo Gucci?


Se for habituée da corrida às lojas de moda e comprar como uma louca, não é tarde para entregar-se a uma nova abordagem: caso não reúna as condições para comprar o vestuário dos seus sonhos, poupe até reunir condições para se presentear. Não se trata de um convite para ser cúmplice do ‘Capitalismo Gucci’ (hiperconsumismo), mas sim para ter liberdade de fazer apostas mais inteligentes e reflectidas. De casar o que veste com o que é.
Idealmente, definirá um orçamento para o vestuário, como para a alimentação ou a educação. Porque vestir bem não é um luxo. É parte integrante de uma vida equilibrada, assim como habitar uma casa respeitável.

Segundo Dominique Loreau, autora francesa do livro “A arte da simplicidade” - e que adoptou o Japão para viver há mais de 30 anos –: “A moda muda. O estilo permanece. A moda é um espectáculo, o estilo é o pilar da simplicidade. A moda compra-se. O estilo possui-se e é um dom.” Resumindo, mulheres elegantes não se assemelham a uma árvore de Natal. Investem em peças com um corte irrepreensível, graciosos vestidos simples, apenas complementados por uma ou duas belas jóias, no máximo.

Eis as cores intemporais que nunca deixam uma mulher ficar mal: o beige, o cinzento, o branco e, naturalmente, o negro. Pelo qual o costureiro Yohji Yamamoto é apaixonado: “vestir cores importuna os outros, incomoda, é inútil. O preto e o branco oferecem tudo.” Têm uma beleza absoluta e permitem ir ao essencial (cor da pele, dos cabelos, dos olhos, de uma jóia... todos sobressaem melhor com negro ou branco, por vezes beige ou azul marinho – escuro -).” Nunca reparou que se cansa mais de peças com tecidos floridos, com padrão, bolinhas ou riscas?

Não se trata de levar a cabo uma exterminação. Contudo, para obter um guarda-roupa variado não deixa de ser mais sensato limitar-se a uma paleta mais restrita de tonalidades. Como refere a escritora francesa, “apurar a simplicidade oferece a chave da criação para um estilo próprio. Uma mulher bem vestida não só faz prova de bom gosto, mas também de inteligência, humor e audácia”. E ter essa sensação é, adicionalmente, ser percepcionada pelos outros desse modo: bonita.

Caixa – simplifique a sua vida... e o seu guarda-roupa


Ordene o seu vestuário. Quando dobrado e pendurado correctamente, “respirando”, dura mais tempo. Quanto às peças fora de estação, coloque-as num local diferente. Evita a confusão no roupeiro e simplifica-lhe a vida. Por fim, respeite o que veste como o seu corpo: perfume o seu guarda-roupa e gavetas (lavanda, etc.); proteja as lãs dos insectos (com grãos de pimenta preta, por exemplo); e deixe-se conquistar pelos cabides em madeira (tamanho de mulher), satisfazendo-se a cada momento que abre o seu guarda-roupa.

• Mantenha apenas roupa que adora;
• Seleccione as denominadas peças “mestre”: calças de boa qualidade em lã fina, um ou dois pares em linho (para o Verão e meia-estação), um belo e bom casaco e camisetas, camisas e/ou blusas variadas. Os vestidos permanecem uma opção feminina, intemporal e prática (fica pronta com uma peça apenas);
•Pense em três conjuntos perfeitos para três ocasiões: final de semana, saídas e trabalho;
•Opte por peças sóbrias e clássicas: torna as nossas escolhas mais fáceis;
•Privilegie peças que:
- possa vestir oito meses durante o ano;
- consiga conjugar com outras ou vesti-las isoladamente;
- tenham uma textura em seda, lã, cachemira ou algodão;
•Elimine o que é demasiado pequeno, gasto e velho (acrescentam-nos anos de vida);
•Mantenha dois bons pares de jeans (campeões do conforto, do prático e da qualidade);
•Permaneça fiel a um só estilo (“O estilo adquire-se com o conhecimento de si mesma”).

* Mestre em Sustentabilidade (Universidade de Cranfield, Reino Unido) e autora do livro "Sustentabilidade na mídia: o poder de (in)formar" (Envolverde, 2009 – Brasil)


(Envolverde/Plurale)


© Copyleft - É livre a reprodução exclusivamente para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

A Casa Verde - Sustentabilidade para crianças


Está em cartaz desde o último dia 30 de abril o filme infanto-juvenil A Casa Verde. Realizado pelo cineasta Paulo Nascimento, o longa trata de temas como reciclagem e sustentabilidade para crianças de 6 a 12 anos de idade.

O interessante é que, além de conferir as aventuras dos personagens do filme, as crianças podem também participar de diversas atividades no site do projeto. No blog, por exemplo, elas vão conhecer muita coisa sobre o meio ambiente e a biodiversidade brasileira, além de aprender a construir brinquedos de material reciclável e fazer papel reciclado, entre outras coisas.

É uma forma criativa de divertida de conscientizar as crianças sobre a importância de preservar o meio ambiente e adotar atitudes sustentáveis no dia a dia.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Brasil tem o maior impacto absoluto sobre o ambiente


Diversos veículos brasileiros informam que um estudo publicado na revista científica Plos One coloca o Brasil no topo do ranking dos países com maior impacto absoluto sobre o ambiente, seguido por Estados Unidos e China. Entre os critérios, estão perda de florestas, uso de fertilizantes, ameaça à biodiversidade, emissões de gases de efeito estufa e qualidade da água.

Cada de um de nós pode tomar atitudes para tentar mudar esse quadro. O que você já fez hoje para diminuir sua pegada ecológica? Além de adotar atitudes mais sustentáveis no dia a dia, é importante ficar de olho no que nossos políticos andam fazendo.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Cooperativa paulistana recebe lixo eletrônico


O lixo eletrônico é um dos mais difíceis de ser descartados. E não estamos falando só de computadores e celulares. Você sabe para onde mandar aquela geladeira velha, que não funciona mais? E o forno de microondas? Desde março de 2010, os moradores da cidade de São Paulo contam com mais um ponto de coleta: a Coopermiti.

A cooperativa funciona em um galpão de 2 mil m² no bairro da Barra Funda e tem 22 cooperados. De acordo com a Prefeitura, que mantém convênio com a entidade, 2,5 toneladas de materiais eletrônicos já foram reaproveitados pela cooperativa. A meta é chegar a recolher 50 toneladas por mês.

Os interessados em dar uma destinação correta ao seu lixo eletrônico podem levar as peças diretamente à Coopermiti, que fica na Rua Doutor Sergio Meira, 268, na Barra Funda, ou solicitar a retirada pelo telefone (11) 3666-0849. Para mais informações, consulte o site da Coopermiti.

Veja quais são os materiais recolhidos pela Coopermiti:

Informática: CPU, HD, driver, placa mãe, placa de rede, placas eletrônicas diversas, telefone celular, máquina fotográfica, computador, notebook, periféricos, monitor, tela de plasma, impressora, máquina de xerox, aparelho telefônico, modens, centrais telefônicas, pabx, etc.

Linha Branca: Geladeira, máquina de lavar, motores elétricos diversos, microonda, liquidificador, mixers, batedeira, freezer, fogão, tostadeira, forno elétrico, ferro de passar, aspirador de pó, etc.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

“Bom Dia Brasil”, da Rede Globo, sugere eutanásia como solução para abandono de animais


Acabo de ler a matéria abaixo da ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais) e fiquei indignada. É mais fácil acabar com o problema matando os animais do que conscientizando as pessoas a ser mais responsáveis. Os jornalistas envolvidos deveriam refletir mais sobre as coisas que falam em rede nacional. É por essas e outras que não assisto à TV aberta.

Na foto aqui postada, está uma cachorra abandonada que recolhi da rua. Ela viveu com a minha família e nos trouxe muita alegria. Teria sido correto sacrificá-la porque algum irresponsável largou-a na rua passando fome e sendo maltratada? Na minha opinião, esse irresponsável é que deveria ser penalizado. Animal não é objeto nem brinquedo.


Telejornal “Bom Dia Brasil”, da Rede Globo, sugere a eutanásia como solução para o abandono de animais

Por Fernanda Franco (da Redação)

“Abandonados, cachorros e gatos ficam vagando por aí: um risco para a saúde pública”. Esta foi a frase pronunciada pelo jornalista Renato Machado ao abrir uma matéria veiculada pelo telejornal Bom Dia Brasil, nesta última terça-feira (4), na Rede Globo, sobre os supostos problemas enfrentados pela sociedade com o abandono de animais.

Segundo a matéria, o número de animais abandonados seria preocupante para a saúde pública, e não um reflexo do descaso e da irresponsabilidade humana.

Durante a reportagem, a apresentadora Renata Vasconcellos se refere ao problema do abandono como uma “dor de cabeça” para a sociedadde, e questiona a jornalista Carla Vilhena sobre o que estariam fazendo as autoridades diante dessa população de animais abandonados. Carla Vilhena responde que são encaminhados aos canis municipais, mas eles já não possuem mais condições físicas para comportar esses animais por muito tempo. Então, ela justifica, na sequência: “o problema é que uma lei aqui em São Paulo proíbe a eutanásia de cães e gatos, ou seja, eles não podem ser mortos”.

Sim, a jornalista explicitamente defendeu a matança por eutanásia dos animais abandonados, como forma de “solucionar” essa situação, que para esses profissionais do jornalismo, e bem possivelmente para a Rede Globo também, significa um grande problema apenas para a saúde pública.

Com o mínimo de discernimento (conhecimento da realidade) e competência jornalística, poderia ter sido apresentada uma matéria que sensibilizasse a sociedade sobre os apuros, o frio, a fome, o sofrimento e a solidão devastadora que vivem diariamente milhares de animais abandonados pelas ruas.

Os animais não são lixos descartáveis que incomodam e poluem a paisagem, como fez parecer a reportagem da Rede Globo. Os cães e gatos citados na matéria são grandes vítimas do ser humano. Há apenas dois vilões nessa história: os tutores irresponsáveis que friamente descartam seus animais; e as autoridades, que não tomam providências para evitar a multiplicação desses animais e dar o devido encaminhamento a esses seres indefesos.

Por que será que a matéria da Rede Globo, em vez de defender a eutanásia desses animais, não apontou o dedo para o descaso público, que não move um milímetro de vontade política para resolver essa situação que é totalmente reversível? Onde está a responsabilidade da mídia, dos jornalistas, das emissoras, ao noticiar uma realidade tão triste com tamanho desdém?

As autoridades devem a esses animais uma saída digna, não a morte. E quando o intuito é solucionar, sobram ideias de iniciativas: programas de castração gratuita distribuídos pelos bairros; campanhas e feiras periódicas de adoção; palestras sobre guarda responsável; incentivo às ONGs que já desenvolvem trabalhos de resgate e encaminhamento para adoção; entre outros. Isso, sim, é solucionar a trágica situação em que se encontram os animais abandonados: agindo e conscientizando.

A jornalista Carla Vilhena defenderia também que os detentos, por exemplo, que habitam as penitenciárias superlotadas devam ser eutanasiados? Ou a vida deles tem algum valor? Naturalmente que querem a vida, assim como os animais não humanos (que não cometeram crime algum) também possuem esse direito.

Para assistir à matéria, na íntegra, clique aqui.

Fonte - ANDA-Agência de Notícias de Direitos Animais

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Ficha Limpa: mobilização urgente


A Campanha Ficha Limpa, que conseguiu reunir dois milhões de assinaturas em favor do Projeto de Lei que pretende impedir a participação nas eleições de candidatos que cometeram crimes graves, está mobilizando os brasileiros a manifestar-se contra as tentativas de boicote por parte dos deputados. Reproduzo aqui a mensagem que recebi da rede Avaaz para os interessados em contribuir:

A Ficha Limpa está por um fio! Deputados contra o projeto de lei, estão organizando uma última tentativa acabar com a Ficha Limpa: eles estão propondo destaques (emendas) para desfigurar completamente o texto. Alguns estão tentando esvaziar o Congresso para que não haja votação!

Precisamos bloquear as linhas telefônicas dos líderes dos partidos que estão propondo os destaques. Precisamos deixar clara a nossa mensagem: “Sem boicotes nem alterações – vote na Ficha Limpa!”. Clique aqui para ver o telefone dos líderes.

O movimento pela Ficha Limpa já percorreu um longo caminho – a nossa petição com mais de 2 milhões de nomes foi entregue no Congresso Nacional em um ato espetacular que gerou grande atenção da mídia e parlamentares.

Ninguém falou que acabar com a corrupção seria fácil, mas com uma pressão final momentos antes da votação, nós podemos ganhar! Tudo que você precisa falar é “Sem boicotes, nem alterações – vote na Ficha Limpa hoje!” Ligue agora.

Com esperança,

Graziela, Ricken, Alice, Luis, Pascal, Iain, Benjamin, Paul e toda equipe Avaaz

Veja a repercussão do ato no Congresso Nacional:

O Globo

Jornal Nacional

Manifestantes lavam rampa do Congresso e pedem faxina na política: Estadão

terça-feira, 4 de maio de 2010

Índios brasileiros na internet


Mais de 23 povos indígenas participam da rede social Índios On Line, criada em 2004, com o objetivo de conectar sete povos indígenas - Kiri, Tupinambá, Pataxó-Hãhãhãe e Tumbalalá (Bahia), os Xucuru-Kariri e Kariri-Xocó (de Alagoas) e os Pankararu (de Pernambuco). Desde 2009, a rede tem o apoio do Ministério da Cultura (MinC) e conta com cerca de 80 gestores, oriundos de diferentes povos, que trabalham voluntariamente para colocar conteúdo no portal e mediar comentários e postagens.

É muito interessante a iniciativa, que promove a união e a inclusão digital dos povos indígenas brasileiros. Vale a pena conhecer.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Bicicletas geram energia para cinema


Um cinema na Lituânia teve uma ideia inusitada: usar bicicletas ergométricas para gerar a energia que faz seu projetor funcionar. Os frequentadores que toparem contribuir com pedaladas assistem aos filmes de graça - e, assim, além de economizar a energia produzida por outras fontes menos sustentáveis, ficam em forma e fazem um programa cultural interessante sem pagar nada.

A notícia é da BBC Brasil, em cujo site você pode conferir a matéria em vídeo - clique aqui.