sexta-feira, 30 de julho de 2010

Código Florestal - continua a mobilização!


A mobilização promovida pelo Avaaz a favor da Lei Ficha Limpa foi um sucesso e ganhou as páginas dos jornais mundiais. E isso dá à organização - e a todos os que colaboraram com ela - força para manter a mobilização contra as mudanças no Código Florestal. Como a votação das alterações que ameaçam as nossas florestas ainda não aconteceu, ainda é possível reverter esse quadro terrível.

Por isso, reproduzo abaixo a mensagem da equipe Avaaz. Leia, participe, contribua. Juntos, temos força para fazer valer nossas opiniões e direitos.

_________________________________________________________

É chocante, a Comissão Especial da Câmara, tomada por deputados ruralistas, conseguiu enfraquecer o nosso Código Florestal. Porém a lei ainda não foi para votação então ainda podemos salvar nossas florestas.

A campanha pelo Código já chamou atenção em Brasília, houveram algumas revisões no texto e conseguimos entregar a nossa petição para deputados e líderes partidários depois que as nossas 40.000 mensagens foram bloqueadas pela Câmara. Porém vamos precisar de apoio para dar fôlego à campanha e para encarar o poderoso agronegócio.

Nós podemos focar em deputados indecisos, lançar um apelo midiático, organizar ligações em massa e manifestações, estando presente com mobilizações em massa a cada momento decisivo. Nós já somos mais de 650.000 pessoas da comunidade da Avaaz no Brasil, se cada um contribuir R$ 5 as nossas vozes serão ouvidas, como fizemos com a Ficha Limpa. Clique aqui para contribuir.

Nós sabemos que as nossas campanhas funcionam. Algumas semanas atrás entregamos a maior petição pelas baleias a história, diretamente para os delegados da Comissão Baleeira Internacional. A nossa campanha se tornou a principal notícia do BBC World News e ao final, apesar do forte lobby das nações a favor da caça comercial de baleias, a proibição da caça foi mantida.

Aqui no Brasil nós sabemos que a nossa comunidade é uma nova e poderosa força democrática – apesar de quase 25% dos deputados responderem a processos na justiça, nos disseram que a Ficha Limpa nunca iria passar, mas depois de construirmos a maior campanha online na história do Brasil, nós vencemos!

Especialistas dizem que se a proposta ruralista passar, esta será a maior perda ambiental em décadas, permitindo a destruição de 80 milhões de hectares de florestas nativas e dando anistia para todos os crimes ambientais desde 2008. O Código Florestal garante não só a preservação das florestas e as populações que dependem dela, mas também previne as mudanças climáticas.

O poder do modelo da Avaaz é usar a tecnologia para que uma pequena equipe possa gerar o engajamento coletivo de milhões de pessoas. A campanha da Ficha Limpa foi possível com apenas alguns membros da equipe da Avaaz, servindo toda a comunidade no Brasil. Clique aqui para doar uma pequena quantia para turbinar a nossa campanha, desafiando os ruralistas e defendendo o Código Florestal.

A nossa comunidade no Brasil contribuiu para desafiar as convenções e trazer uma nova política, transparente e responsável. Vamos agir juntos novamente e construir este movimento para garantir que as políticas e leis reflitam os interesses de todos nós brasileiros e não somente uma minoria poderosa. Juntos nós podemos construir o Brasil que queremos!

Com esperança,

Graziela, Ricken, Alice, Luis, Iain, Pascal, Benjamin e toda a equipe Avaaz

Fontes:

Novo código florestal pode agravar ameaça à Amazônia

Retrocesso ambiental (Greenpeace)

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Óculos sustentáveis


Feitos com armação de bambu, os óculos da Kayu são uma alternativa estilosa para quem procura produtos mais "amigáveis" com o meio ambiente. Eles custam 180 dólares e são vendidos por diferentes lojas em todo o mundo - no Brasil, pela Khoris - e pela internet. A dica é do blog Coletivo Verde.

Além de usar materiais naturais e biodegradáveism a empresa, que tem sede em São Francisco (EUA), mantém parceria com artesãos de diferentes partes do mundo com o próposito de gerar renda para comunidades tradicionais. E parte do dinheiro obtido com a venda dos produtos - além de óculos, a empresa comercializa bolsas - é destinada à realização de cirurgias para corrigir problemas de visão e a projetos sociais.

Quem disse que negócios não combinam com sustentabilidade?

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Verba para projetos de mulheres indígenas

Até 4 de outubro, os ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Meio Ambiente (MMA) estão recebendo propostas de projetos de apoio às mulheres indígenas. Os investimentos previstos para essa chamada pública são de 1 milhão de reais.

O objetivo da iniciativa é fortalecer a atuação das mulheres indígenas na promoção da segurança alimentar das suas comunidades e na gestão ambiental de suas terras, em razão do seu potencial para a condução de projetos voltados para a melhoria da qualidade de vida local.

Os interessado em participar devem elaborar seus projetos de acordo com as Diretrizes da Carteira Indígena e o Roteiro para Elaboração de Projetos, disponíveis nos sites do MDS, do MMA e da Funai, assim como informações mais detalhadas sobre a chamada.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Animais silvestres sofrem em São Paulo

Não parece, mas a cidade de São Paulo ainda abriga milhares de animais silvestres. O problema é que a capital paulista é um hábitat difícil para a sua sobrevivência, apesar dos parques existentes.

De acordo com matéria publicada pelo Estadão no último sábado, mais de 150 animais por mês chegam machucados ou perdidos à Divisão de Fauna Silvestre, órgão da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, que fica no Parque do Ibirapuera.

Alguns deles são encontrados feridos pela população, outros são apreendidos pela Polícia Ambiental, por serem mantidos de forma irregular em cativeiro. As aves são maioria entre os animais atendidos, mas há registros de gambás, bugios e preguiças.

É possível contribuir para reduzir esses números de duas formas. A primeira delas é deixar os animais silvestres em liberdade. O cativeiro só faz mal a eles, além de ser ilegal. A segunda é chamar o Corpo de Bombeiros, pelo 193, ou a Polícia Ambiental, pelo 190, ao encontrar alguma animal silvestre machucado.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Cidades Sustentáveis


Foi lançada na semana passada a Plataforma Cidades Sustentáveis, documento que apresenta diversas iniciativas de boas práticas ambientais urbanas em vários continentes com o objetivo de contribuir com o debate eleitoral e com os programas dos candidatos nas eleições de 2010.

A publicação impressa é um resumo da pesquisa realizada pela Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis e pelo Movimento Nossa São Paulo, com o apoio da Fundação Avina, que está disponível na íntegra no portal www.cidadessustentaveis.org.br. Essa pesquisa apresenta experiências inovadoras desenvolvidas em outras partes do país e no mundo.

Vale a pena conhecer as sugestões e cobrar dos candidatos ações mais concretas em relação à construção de cidades mais sustentáveis, justas e democraticas.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Morte de animais no noticiário


Safári de onças e morte de pinguins no litoral de São Paulo foram duas notícias da última semana que me deixaram indignada.

A primeira, pelo absurdo de haver gente que ainda acha divertido caçar animais selvagens e, pior, animais ameaçados de extinção, como a onça pintada. Nunca entendi essa questão da caça, nem mesmo quando há proliferação descontrolada de alguma espécie. Que dirá de belos exemplares de felinos, que são belos justamente por estarem livres na natureza. Que prazer alguém pode ter com a morte de um outro ser vivo?

A segunda notícia me preocupou pela quantidade e pelo motivo da morte dos pinguins e ourtos animais, como tartaruagas, golfinhos e aves marinhas diversas. Segundo pesquisadores do Aquário Municipal de Santos, a maior parte dos quase 600 animais morreu por causa do lixo e da falta de alimentos adequados. Ou seja, o lixo que despejamos nas praias e no mar está afetando seriamente a vida marinha.

A irresponsabilidade humana parece não ter limites. Mas tem! E é o limite ditado pelo próprio planeta. Vai chegar um dia, se não mudarmos nossas atitudes, que a Terra vai morrer. E o homem junto com ela.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sapatos 100% reciclados


Novidade para os preocupados com sua pegada ecológica, literalmente. A marca francesa For Your Earth (FYE), criada por Emmanuel Cortez, diretor de marketing e de grandes contas da empresa de artigos esportivos Kappa France, produz tênis feitos de materiais 100% reciclados ou orgânicos.

Entre as opções, há modelos fabricados com poliéster obtido de garrafas PET descartadas e com algodão orgânico. Lançados em 2010, por enquanto os sapatos da FYE só podem ser comprados em lojas na França ou pela internet. Eles não são lá muito caprichados no design, mas parecem bem confortáveis, além de ecologicamente corretos. Veja os modelos disponíveis no site do FYE.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Lei para reduzir uso sacolas plásticas no RJ


Entrou em vigor hoje no estado do Rio de Janeiro uma lei com o objetivo de reduzir o uso de sacolas plásticas pela população. Pela lei, as lojas deverão oferecer de graça sacolas retornáveis aos clientes; dar desconto para os clientes que levarem suas próprias sacolas para transportar as compras; ou trocar um produto da cesta básica por 50 sacolas devolvidas limpas.

A multa para os lojistas que não cumprirem a lei pode chegar a R$ 20 mil. Mas, num primeiro momento, os fiscais da Secretaria do Ambiente do estado vão fazer apenas um trabalho de conscientização em supermercados e lojas para garantir a aplicação da lei.

Acho interessante a lei por dar incentivos aos consumidores para trocar as sacolas plásticas por retornáveis. Contar só com a boa vontade das pessoas é um processo mais difícil, principalmente no Brasil, que tem uma grande população carente de recursos.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Cinema pelos Direitos Humanos


Estão abertas as inscrições para a 5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul. Podem ser enviados trabalhos audiovisuais realizados em países sul-americanos, finalizados a partir de 2007, que tenham como conteúdo questões relacionadas aos Direitos Humanos. Não há restrições de duração, gênero ou suporte.

As obras selecionadas pela curadoria do evento serão exibidos em 20 capitais brasileiras, a partir do dia 8 de novembro de 2010. Para mais detalhes, acesse a seção Convocatória 2010 do site da mostra.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Código Florestal - Veja quem votou contra e a favor


Como acredito que não podemos nos conformar com a aprovação das mudanças feitas pelos retrógrados deste país no Código Florestal, reproduzo a mensagem do Greepeace Brasil, para que a mobilização continue. Veja quem votou a favor da mudança (e contra as florestas) e guarde esses nomes para as próximas eleições. Também mande email de protesto para eles. Vamos fazer a nossa parte!

Mensagem do Greenpeace
Nessa terça-feira (13/07), frente ao tratoraço dos ruralistas para aprovar o relatório de Aldo Rebelo, nós, do Greenpeace, organizamos um protesto dentro da Câmara dos Deputados, durante a reunião da Comissão Especial criada para analisar mudanças no Código Florestal. Soamos sirenes para alertar toda a sociedade e a mídia sobre o perigo que ronda nossas florestas.
Um banner com os dizeres “Não vote em quem mata florestas” parou a sessão por alguns minutos - veja no vídeo.

O resultado foram três ativistas agredidas física e verbalmente pela segurança da casa, fotos e matérias nos grandes veículos do país sobre o assunto e uma sociedade atenta à decisão dos deputados. O texto final, aprovado por 13 votos a 5, dá muito poder aos estados, joga a conta da preservação para todos os brasileiros, e premia com anistia quem cometeu crimes ambientais. Saiba mais.

A aprovação na comissão especial, contudo, não é o fim de um processo. Daqui, o texto do relatório ainda percorre um bom caminho na Câmara e no Senado. Ele deve ser mudado, disputado, e ser pauta de muitos debates públicos, a começar pelas eleições. E seu papel, ciberativista, será mais que decisivo nesse momento, já que durante o período eleitoral a sociedade deverá exigir o que é interesse do Brasil.

Entenda o caminho já percorrido pelo relatório.

Fique de olho. Veja abaixo quem votou contra e à favor do relatório de Aldo e continue acompanhando conosco os próximos passos da campanha em defesa das florestas. Compartilhe também essas informações com seus amigos. Agradeço mais uma vez o seu apoio e engajamento.

Quem votou pela mudança do Código Florestal:

Aldo Rebelo (PCdoB-SP)
E-mail: dep.aldorebelo@camara.gov.br

Anselmo De Jesus (PT-RO)
E-mail: dep.anselmodejesus@camara.gov.br

Duarte Nogueira (PSDB-SP)
E-mail: dep.duartenogueira@camara.gov.br

Eduardo Seabra (PTB-AP)
E-mail: dep.eduardoseabra@camara.gov.br

Ernandes Amorim (PTB-RO)
E-mail: dep.ernandesamorim@camara.gov.br

Homero Pereira (PR-MT)
E-mail: dep.homeropereira@camara.gov.br

Luis Carlos Heinze (PP-RS)
E-mail: dep.luiscarlosheinze@camara.gov.br

Marcos Montes (DEM-MG)
E-mail: dep.marcosmontes@camara.gov.br

Moacir Micheletto (PMDB-PR)
E-mail: dep.moacirmicheletto@camara.gov.br

Moreira Mendes (PPS-RO)
E-mail: dep.moreiramendes@camara.gov.br

Paulo Piau (PPS-MG)
E-mail: dep.paulopiau@camara.gov.br

Reinhold Stephanes (PMDB-PR)
E-mail: dep.reinholdstephanes@camara.gov.br

Valdir Colatto (PMDB-SC)
E-mail: dep.valdircolatto@camara.gov.br

Quem votou contra a mudança do Código Florestal:

Dr. Rosinha (PT-PR)
E-mail: dep.dr.rosinha@camara.gov.br

Ivan Valente (PSOL-SP)
E-mail: dep.ivanvalente@camara.gov.br

Sarney Filho (PV-MA)
E-mail: dep.sarneyfilho@camara.gov.br

Ricardo Tripoli (PSDB-SP)
E-mail: dep.ricardotripoli@camara.gov.br

Rodrigo Rollemberg (PSB-DF)
E-mail: dep.rodrigorollemberg@camara.gov.br

terça-feira, 13 de julho de 2010

Rádio para deficientes auditivos


A rádio CBN acaba de iniciar o projeto CBN em Libras, desenvolvido em parceria com a ONG Vez da Voz, em que uma parte da programação da emissora é disponibilizada na linguagem brasileira de sinais pelo seu site. Além do boletim "Cidade Inclusiva", produzido especialmente para a primeira fase do projeto, e notícias sobre relacionamento e cidadania, o CBN em Libras deve, em breve, apresentar também reportagens especiais sobre política, economia, meio ambiente, ciência, cultura e esportes.

O objetivo da iniciativa é tornar o rádio acessível aos brasileiros com deficiência auditiva - estima-se que sejam cerca de seis milhões de pessoas em todo o país. Tomara mesmo que o projeto tome corpo e ofereça informações de qualidade a esse público.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Absorventes ecológicos

Os absorventes higiênicos provocam grande impacto sobre o meio ambiente, da mesma forma que as fraldas descartáveis - como têm plástico, levam cerca de 100 anos para se decompor. Imagine o que isso representa, levando em conta que uma mulher, durante seu ciclo reprodutivo, usa de 10 a 15 mil absorventes. Por isso um número grande de mulheres tem buscado alternativas para eles.

Uma delas é voltar à época de nossas avós e adotar as toalhinhas higiênicas, como as produzidas pelo Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica. Claro que hoje elas são mais modernas e práticas. Produzidas com tecido de algodão, elas têm abas que as prendem na calcinha como um absorvente descartável. A vantagem é que são reutilizáveis - basta lavá-los com água e sabão, com os mesmos cuidados utilizados na lavagem das calcinhas, e elas podem durar de 6 a 10 anos.

Outra opção é o coletor menstrual, um copo de silicone que a própria mulher pode acoplar ao colo do útero, como o Mooncup. O fluxo passa direto para o coletor, que deve ser retirado a cada 4 ou 8 horas, dependendo da quantidade de menstruação. Depois de descartar o fluxo, basta lavá-lo e colocá-lo novamente. Segundo os fabricantes, se bem higienizado, o coletor dura cerca de 10 anos.

Acho as duas alternativas interessantes para as mulheres que fazem questão de menstruar. Eu prefiri adotar um método anticoncepcional que impede a menstruação - mais por questões práticas e de saúde do que por consciência ecológica, admito. Mas também é uma saída para reduzir a produção de lixo, desde que feito sob orientação médica.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

ONGs promovem abaixo assinado em prol dos animais

A primeira delegacia de proteção animal do estado de São Paulo surgiu em Campinas e agora é a vez da capital ter uma unidade policial especializada em fazer cumprir as leis existentes em favor dos animais. A iniciativa é do Clube dos Vira-latas e já conta com o apoio do deputado Celso Giglio que encaminhou um pedido oficial ao Governador. Até o dia 30/julho de 2010 a ONG espera registrar 50 mil assinaturas e entregar em mãos ao governador do estado de São Paulo em exercício Alberto Goldman. Acesse e assine: http://www.cao.com.br/

terça-feira, 6 de julho de 2010

Cartuchos de tinta viram ciclovia

Ideia interessante que vem da Austrália: usar cartuchos velhos de tinta de impressoras para fazer uma ciclovia. Foi o que aconteceu no West MacDonnel National Park, que agora tem 17 km de estrada para bicicletas feita de cartuchos reciclados. Segundo os criadores da novidade, a empresa Replas Recycled Plastics, o material dura mais e resiste melhor às intempéries que madeira. Quem sabe a moda pega por aqui? Para mais detalhes, leia a notícia que saiu no site do jornal australiano Centralian Advocate (em inglês).

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Sacos ecológicos para lixo

O uso de sacos plásticos para acondicionar lixo é alvo de inúmeras discussões e campanhas. Muita gente usa as sacolas plásticas fornecidas por supermercados para esse fim, mas é certo que elas causam muitos danos ao meio ambiente. É melhor, segundo os especialistas, usar sacos próprios para lixo, mas eles não são muito melhores que as sacolas. A vantagem é que eles são feitos de pástico reciclado, o que já ajuda na diminuição do seu impacto ambiental.

Uma boa opção é utilizar sacos de lixo biodegradáveis, que já são produzidos por diversas empresas. Outra alternativa é o saco produzido pela Embalixo para a marca Qualitá, do Grupo Pão de Açúcar. Ele tem proteção antimicrobiana, que inibe a proliferação de bactérias no lixo e a formação de mau cheiro. Com isso, é mais higiênico e seguro para o manuseio, o que permite a utilização de um mesmo saco por mais tempo. Outra vantagem do produto é que parte das vendas dos sacos para lixo Qualitá Microban será doada à ONG Refloresta para o plantio de mudas de árvores nativas.